Publicidade

Correio Braziliense

Após reunião no Alvorada, Moro e Bolsonaro participam de evento juntos

Trata-se do primeiro encontro entre os dois após o vazamento de conteúdo de supostas mensagens trocadas pelo então juiz federal e integrantes do Ministério Público Federal


postado em 11/06/2019 10:38 / atualizado em 11/06/2019 10:58

(foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil )
(foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil )
O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, foi ao encontro do presidente Jair Bolsonaro no Palácio da Alvorada, na manhã desta terça-feira (11/6). A reunião começou por volta das 9h15 e foi encerrada pouco antes das 10h. 


Trata-se do primeiro encontro entre os dois após o vazamento de conteúdo de supostas mensagens trocadas pelo então juiz federal e integrantes do Ministério Público Federal. Bolsonaro e Moro participam de cerimônia de comemoração do 154º Aniversário da Batalha Naval do Riachuelo. Eles foram juntos de lancha ao evento, segundo a assessoria do ministro. O início do evento estava marcado para as 10h.

 

 

 

Também com agenda no Alvorada pela manhã, o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, chegou junto de Bolsonaro e do ministro da Justiça.

 

No evento, Bolsonaro está sentado ao lado de Moro, acompanhado de seu vice, Hamilton Mourão, do outro lado. Também participam da cerimônia outros ministros de Estado, como o da Economia, Paulo Guedes. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, também marca presença. 

 

 

Troca de mensagens

Na segunda-feira (10/6), o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, disse que Bolsonaro iria se encontrar pessoalmente com Moro para tratar do assunto. Segundo ele, Bolsonaro se colocará "à disposição" para "compartir" com Moro os fatos referentes ao vazamento.

 


No domingo (9/6), o site The Intercept Brasil divulgou mensagens supostamente trocadas por Moro e procuradores. As conversas mostrariam que Moro teria orientado investigações da Lava-Jato por meio de mensagens trocadas no aplicativo Telegram. Na segunda, em viagem a Manaus, Moro afirmou que não via "nada de mais" sobre as mensagens.

Ministros do governo saíram em defesa do ex-juiz da Lava-Jato. Um exemplo foi o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva. Ele disse que Moro tem "total confiança" do governo. "Ele é um ministro, um homem de muito respeito e do bem", afirmou Azevedo e Silva após cerimônia alusiva aos 20 anos de criação da pasta. O vice-presidente Hamilton Mourão foi na mesma linha e disse que Moro é alguém da "mais ilibada confiança" do presidente.

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade