Publicidade

Correio Braziliense

Moro diz que pode ser alvo de fake news; sessão da CCJ já dura mais de 5h

Ministro mantém o posicionamento de dizer que não lembra das mensagens trocadas com o procurador Deltan Dallagnol


postado em 19/06/2019 15:18

(foto: Geraldo Magela/Agência Senado)
(foto: Geraldo Magela/Agência Senado)
Cinco horas após o início da sabatina na Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ), o ministro da Justiça, Sérgio Moro, mantém o posicionamento de dizer que não lembra das mensagens trocadas com o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da Lava-Jato. Desta vez, Moro usou novo argumento: pode estar sendo alvo das impiedosas fake news.

Após questionamentos do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), que elogiou o posicionamento do ministro e tentou fortalece-lo em meio aos parlamentares, Moro disse que “algumas coisas fazem parte de golpes de memória, não significa que seja mentira. Pode ser até fake news”, complementou o ministro da Justiça.

Sérgio Moro foi elogiado por diversos senadores, cujas tentativas de diminuir o desgaste fizeram com que Moro permanecesse atento (e respondendo de maneira atenciosa) aos presentes.

As fake news ficaram conhecidas no Brasil durante as eleições de 2018, tendo virado, inclusive, tema de série publicada pelo Correio. Durante o pleito que definiu a nova Esplanada dos Ministérios, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tomou providências para tentar esclarecer aos eleitores os perigos da disseminação de conteúdo falso nos períodos eleitorais.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade