Publicidade

Correio Braziliense

Moro fala em ''métodos especiais de investigação'' durante a Lava-Jato

Ministro usou séries e filmes como exemplo da sua visão sobre como ocorreu a condução dos casos da operação


postado em 19/06/2019 16:04

Sérgio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública(foto: Pedro França/Agência Senado)
Sérgio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública (foto: Pedro França/Agência Senado)
Ao comentar declarações do senador Alvaro Dias, que declarou apoio a Lava-Jato, o ministro da Justiça, Sérgio Moro, afirmou, na tarde desta quarta-feira (19/6), que durante a operação foi necessário adotar o que ele chama de "métodos especiais de investigação". De acordo com o ex-juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba, em alguns casos, o "juiz participa ainda durante a fase de investigação".

Durante sua defesa na Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ), o ministro se defendeu das acusações de ter mantido conversas proibidas com procuradores do Ministério Público Federal do Paraná, e ter influenciado em processos que julgou. Ele usou filmes e séries de ficção que foram baseados na Lava-Jato para destacar sua visão sobre o caso.  "Operações como essa necessitam de métodos especiais de investigação, que tornam necessária a participação do juiz ainda não fase de investigação. Isso é comum. É retratado nestes filmes que foram feitos sobre a Lava-Jato, mesmo que abordem de forma fictícia", disse.

O ministro chegou na comissão às 9 horas e presta esclarecimentos há mais de seis horas. Ele afirmou que não tem certeza da veracidade dos conteúdos das mensagens reveladas pelo site The Intercept, e diz que podem ter sido editadas. Moro também disse que não tem mais acesso ao aplicativo Telegram, onde teria ocorrido os diálogos com os procuradores. De acordo com o ministro, sua conta está em poder de hackers. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade