Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro blinda Moro: ''O povo vai dizer se nós estamos certos ou não''

As investigações do caso transcorrem sem interferência do presidente, garante ele


postado em 05/07/2019 13:18

(foto: Sérgio Lima/AFP)
(foto: Sérgio Lima/AFP)
 
O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, continua blindado. Mesmo depois da publicação de novos diálogos que sugerem supostas orientações ilegais do ex-juiz em ações da Operação Lava-Jato, o presidente Jair Bolsonaro o defendeu nesta sexta-feira (5/7). Disse que irá acompanhado do ministro à final da Copa América, no domingo (7/7), e deixará que os torcedores presentes façam a avaliação do governo. “Se a segurança permitir ir eu e Sérgio Moro ao gramado, o povo vai dizer se nós estamos certos ou não”, destacou. 

A nova edição da revista Veja informa, em uma parceria com o The Intercept, que Moro atuou com parcialidade no caso. “O atual ministro pediu à acusação que incluísse provas nos processos que chegariam depois às suas mãos, mandou acelerar ou retardar operações e fez pressão para que determinadas delações não andassem”, apontou um trecho da reportagem. 

O presidente da República, em contrapartida, não apenas manifestou que será o povo a “julgar” o governo, como provocou a imprensa a noticiar informações sobre Adélio Bispo, o responsável pelo atentado contra ele. “Falam tanto na questão do Moro, telefone, etc, e cadê o caso do Adélio? Não vão dar nenhuma força pro caso? Os telefones estão guardados. A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) entrou com ação impedindo que se entre no telefone celular de alguns. Pois se entrar, vão saber quem foi o mandante da tentativa de homicídio da minha parte”, disse Bolsonaro. 

As investigações do caso transcorrem sem interferência do presidente, garante ele. “Não tenho acesso aos áudios, mas converso com Sérgio Moro. Tem informações que chegam a mim e passo para ele apurar também. É natural. Agora, não quero que inventem responsável pela tentativa de assassinato da minha pessoa. Quero chegar a uma solução”, declarou. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade