Publicidade

Correio Braziliense

Na Bahia, Bolsonaro afaga nordestinos depois de polêmica com governadores

Em cerimônia de inauguração do Aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista (BA), declarou amor à região e disse ''somos todos 'paraíbas'''


postado em 23/07/2019 15:11 / atualizado em 23/07/2019 15:17

(foto: Alan Santos/PR)
(foto: Alan Santos/PR)
Depois de polemizar na última sexta-feira (19/7), o presidente Jair Boslonaro fez afagos ao Nordeste. Em cerimônia de inauguração do Aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista (BA), declarou amor à região e disse “somos todos ‘paraíbas’”, sugerindo que a única filha, Laura Bolsonaro, de 8 anos, tem “sangue nordestino”. A mulher dele, Michelle Bolsonaro, nascida na Ceilândia, é filha de cearense. 

A polêmica da última sexta-feira foi causada após vazar vídeo em que Bolsonaro fala sobre “governadores de paraíba”, em referência aos gestores estaduais do Nordeste, com críticas, sobretudo, ao governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). “Não tem que ter nada para esse cara”, declarou, informalmente, ao ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. 
 
O presidente negou ter chamado os governadores nordestinos de “paraíbas”. No sábado, disse que se referia apenas a Dino e ao governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB). “Falaram, agora, que eu estou criticando o Nordeste, você viu? Dois governadores, o do Maranhão e da Paraíba, que são intragáveis”, declarou. 

Na passagem pela Bahia, nesta terça, procurou amenizar o desconforto. “Eu amo o Nordeste. Afinal de contas, a minha filha tem em suas veias sangue de ‘cabra da peste’. ‘Cabra da peste’ de Crateús, o nosso estado aqui, mais pra cima, o nosso Ceará. Quem é nordestino aqui levanta o braço. Quem concorda com o presidente Jair Bolsonaro levanta o braço. Estamos juntos ou não estamos?”, declarou.

Em pronunciamento, Bolsonaro evitou a polêmica e manifestou não ter intenção em “dividir” o país. “Não estou em Vitória da Conquista, não estou na Bahia, nem no Nordeste. Estou no Brasil. Não há divisão entre nós: (divisão por) sexo, raça, cor, religião ou região. Somos um só povo com um só objetivo: colocar esse grande país em um lugar de destaque que merece”, declarou. Ao fim do discurso, vestiu um chapéu de vaqueiro e disse não ser qualquer um que “usa um trem desses na cabeça, não”. “Somos todos ‘paraíba’, somos todos baianos. O que nós não somos é aqueles que querem puxar para trás o nosso estado, o nosso Brasil. Aí, nós não somos”, frisou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade