Publicidade

Correio Braziliense

Diretor-geral da PF afirma ao STF que Glenn Greenwald não é investigado

Presidente da Corte determinou que a corporação informasse se o jornalista do The Intercept é alvo de algum inquérito aberto pela corporação


postado em 23/07/2019 19:14

(foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados)
(foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados)
Em ofício enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta terça-feira (23), o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, afirma que o jornalista Glenn Greenwald, do The Intercept, não é alvo de nenhum inquérito aberto pela corporação.

Valeixo atende uma determinação do presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli. O magistrado acolheu um pedido da Rede Sustentabilidade para que seja declarada inconstitucionalidade de qualquer investigação contra o profissional de imprensa. Na solicitação, o partido alega que uma eventual diligência violaria a liberdade de imprensa, pois seria uma ferramenta de "coação" contra o trabalho do profissional e de sua equipe.

Os rumores de que Glenn seria investigado surgiram após a informação com este sentido ser publicada pelo site "O Antagonista". Toffoli enviou o mesmo questionamento ao ministro da Economia, Paulo Guedes.

Desde o dia 09 de julho, o The Intercept Brasil publica diálogos em que o ministro da Justiça, Sérgio Moro trocou com procuradores da força-tarefa da Lava-Jato. O conteúdo das conversas lança suspeitas sobre a atuação de Moro na época em que ele era juiz titular da 13ª Vara Federal de Curitiba e conduziu processos da Lava-Jato. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade