Publicidade

Correio Braziliense

Acusado de infidelidade partidária, Alexandre Frota é expulso do PSL

Deputados sai do partido por criticar abertamente o presidente Jair Bolsonaro, além de se abster no segundo turno de votação da reforma da Previdência


postado em 13/08/2019 12:21 / atualizado em 13/08/2019 12:26

(foto: Michel Jesus/ Câmara dos Deputados)
(foto: Michel Jesus/ Câmara dos Deputados)
O deputado Alexandre Frota (SP) acaba de ser expulso do Partido Social Liberal (PSL), legenda do presidente da República, Jair Bolsonaro. A decisão partiu da executiva nacional, que se reuniu nesta terça-feira (13/8) para analisar o caso do congressista. Frota foi acusado de infidelidade partidária por criticar abertamente o presidente Jair Bolsonaro, além de se abster no segundo turno de votação da reforma da Previdência.

Após semanas de discussão, os pedidos para expulsar o ex-ator pornô foram apresentados pela deputada Carla Zambelli (SP) e pelo senador Major Olímpio (SP). Quem conduz a executiva nacional é Luciano Bivar, responsável pela reunião desta terça. Estiveram presentes Major Olímpio, os deputados Felipe Francischini (PR), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara ; o líder da sigla na C6amara, Delegado Waldir (GO), e outros.

Ao Correio, Alexandre Frota demonstrava insatisfação com o PSL há tempos. Chegou a dizer, em entrevista à coluna Muito Além da Política, publicada na Revista, que "o presidente Bolsonaro só buscava os aliados quando o Planalto tinha suas necessidades". O deputado aparentava descontentamento também com os colegas de bancada, que acusava de "não ter coragem para falar".

Frota estava ciente da possibilidade de expulsão e chegou a conversar com Carla Zambelli nos últimos dias. Ele teria mostrado arrependimento e disposição para se desculpar.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade