Publicidade

Correio Braziliense

Entenda os ataques do presidente Bolsonaro ao apresentador Luciano Huck

Presidente Bolsonaro criticou empréstimo do BNDES para apresentador em 2013 e prometeu 'abrir a caixa preta' do banco para mostrar atos 'irresponsáveis' para favorecer algumas pessoas


postado em 16/08/2019 21:20

(foto: Justo Ruiz/ reprodução )
(foto: Justo Ruiz/ reprodução )
Criticado nesta semana por Luciano Huck, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) rebateu nesta sexta-feira (16/8) com referências a um empréstimo contraído pelo apresentador junto ao Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a compra de um jatinho. 

“Ele falou que eu sou o último capítulo do caos. Se ele comprou jatinho, então ele faz parte do caos. Ajudou naqueles empréstimos de quase meio trilhão de reais, amigo Fidel Castro, Venezuela, essa galera aí. E aqui no Brasil, me parece, foram R$ 2 bilhões (do BNDES) para amigos comprarem jatinho”, afirmou Bolsonaro em entrevista na chega ao Palácio da Alvorada. 

O presidente fez referência a um empréstimo de R$ 17,7 milhões que Luciano Huck pegou no BNDES em 2013 para comprar um jato particular da Embraer. Os empréstimos eram parte de um programa do banco destinado a financiar investimentos de empresas, chamado Finame (Financiamento de Máquinas e Equipamentos), e teve como um dos beneficiados a Brisair Serviços Técnicos e Aeronáuticos Ltda., que tem como sócios Huck e sua esposa, apresentadora Angélica. 

Além de financiamentos de empresas para compras de bens de capital, o programa do BNDES beneficiou também outros setores da indústria nacional com condições interessantes para pesquisas e planos de produção voltados para exportações. 
Continua depois da publicidade

Apesar de não citar nominalmente Luciano Hulk, Bolsonaro criticou as condições oferecidas pelo banco em uma transmissão feita nas suas redes sociais e prometeu “abrir a caixa preta do BNDES” para mostrar casos que ele considerou absurdos. 

“Juros de 3%? Tá bom ou não? Isso é irresponsabilidade. A gente vai mostrar. Imagine, você usou de seu nome, de sua fama no passado para comprar isso”, disse o presidente. 

Procurado nesta sexta-feira (16) pela reportagem para comentar os ataques do presidente, Huck ainda não retornou. No ano passado, quando as informações sobre a compra do jatinho vieram à tona, sua assessoria informou que a compra foi feita via um programa do BNDES de incentivo à indústria nacional e que ele usava o avião duas vezes por semana para gravar programas de TV.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade