Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro posta vídeo falso sobre baleias na Noruega e vira piada nas redes

O presidente voltou a atacar Oslo e sua caça às baleias após a suspensão da ajuda financeira para a luta contra o desmatamento na Amazônia


postado em 19/08/2019 09:47

(foto: Evaristo Sá/AFP)
(foto: Evaristo Sá/AFP)
Oslo, Noruega — Depois da suspensão da ajuda financeira da Noruega para a luta contra o desmatamento na Amazônia, o presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar Oslo e sua caça às baleias, mas usando imagens erradas, o que provocou piadas nas redes sociais.

"Veja a matança das baleias patrocinada pela Noruega", tuitou Bolsonaro na noite de domingo (18/8). O tuíte inclui um vídeo e fotos que mostram, com uma música melancólica ao fundo, o resultado de uma caça em massa de cetáceos, depois abatidos na praia, com o sangue tingindo as águas de vermelho.
 
 

O problema é que as imagens supostamente feitas em 29 de maio na Noruega ilustram um festival de caça tradicional chamado 'grindadráp' nas Ilhas Faroe, um território dependente da Dinamarca no Atlântico Norte.
 

Indignação e piadas 

O tuíte de Bolsonaro provocou indignação em alguns internautas e foi motivo de piadas para outros nas redes sociais. "Haha, que presidente idiota o Brasil tem! NÃO É a Noruega! Não matamos assim as baleias. Informe-se se quiser ser respeitado! É uma 'Fake news', como diria Trump", reagiu um usuário do Twitter. "Informação falsa é um crime, senhor Presidente", afirma outro.

Bolsonaro critica a Noruega desde que este país, assim como a Alemanha, anunciou na semana passada o bloqueio de 133 milhões de reais (cerca de 33 milhões de dólares) destinados ao Brasil sob acusação de que o Brasil "não quer deter o desmatamento" da Amazônia.

Com isso, teria rompido unilateralmente o acordo alcançado com os doadores do Fundo, para o qual Oslo contribuiu com 900 milhões de dólares desde sua criação em 2008. A Noruega é um dos poucos países do mundo que autoriza a caça comercial de baleias, e por isso também é criticada por ONGs ligadas ao tema.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade