Publicidade

Correio Braziliense

Relator prevê votação da reforma tributária em 45 dias na CCJ do Senado

Nesta segunda-feira (19/8). ocorreu a primeira audiência pública sobre a PEC


postado em 19/08/2019 20:20

(foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)
(foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)
A reforma tributária que tramita na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado deve ser votada em 45 dias pelo colegiado, estimou o relator da matéria, senador Roberto Rocha (PSDB-MA). Após a primeira audiência pública sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 110/2019, na tarde desta segunda-feira (19/8), ele afirmou que o tempo é suficiente para resolver os "pontos mais nervosos".

Rocha não estimou quanto tempo a matéria ainda precisaria ser discutida pelo plenário, fase seguinte à comissão, mas disse que "o debate maior vai se dar na CCJ". Enquanto os pontos sensíveis devem ser resolvidos no colegiado, "no plenário, é visão mais política", comparou.

A proposta não deve apenas simplificar tributos, mas também "ter um olhar muito para a frente", defendeu o senador. "Nós queremos fazer uma proposta digital, uma reforma tributária 5.0. Fazer com que haja uma maior quantidade de pessoas pagando impostos e uma carga muito menor no Brasil", disse.

CPMF 

Rocha disse não ser a favor da criação de um novo imposto sobre pagamentos, no modelo da antiga CPMF, mas não descartou a possibilidade de o assunto ser incluído no parecer que será relatado por ele. "Não posso descartar, porque, como relator, eu tenho que extrair a opinião da média, se não, o relatório não é aprovado. Não posso, ainda que pense diferente, fazer vale a minha opinião", ponderou. 

Mas, assim como ele, o governo também tem sinalizado não ser favorável à criação de tributos, lembrou Rocha. "O próprio presidente já disse que não é a favor da criação de um novo imposto", pontuou. O senador garantiu que integrantes do governo "nunca falaram" com ele sobre criar tributos. "Pelo contrário, as conversas que tenho tido são para não criar imposto novo", acrescentou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade