Publicidade

Correio Braziliense

Nova fase da Lava-Jato mira suspeita de propina a Palocci e Mantega

Segundo a PF, esta fase investiga a suspeita de pagamentos por parte da Odebrecht a dois ex-ministros identificados na planilha da empreiteira como ''Italiano'' e ''Pós-Itália''


postado em 21/08/2019 07:21 / atualizado em 21/08/2019 10:06

PF deflagra 63ª fase da Operação Lava-Jato(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
PF deflagra 63ª fase da Operação Lava-Jato (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quarta-feira, (21/8), a a 63ª fase da Operação Lava-Jato, denominada Carbonara Chimica. Cerca de 40 Policiais Federais cumprem dois mandados de prisão temporária e 11 mandados de busca e apreensão em São Paulo e na Bahia.

Segundo a PF, esta fase investiga a suspeita de pagamentos periódicos por parte da Odebrecht a dois ex-ministros identificados na planilha da empreiteira como "Italiano" e "Pós-Itália". Em depoimento, Marcelo Odebrecht afirmou que "Italiano" se referia ao ex-ministro Antônio Palocci e "Pós-Itália" era Guido Mantega.

O pagamento da propina tinha como objetivo, entre outras coisas, a aprovação de Medidas Provisórias que instituiriam um novo refinanciamento de dívidas fiscais (Refis da Crise – MPs 470/2009 e 472/2009).

Segundo a investigação, há indícios de que parte dos valores indevidos teria sido entregue a um casal de publicitários como forma de disfarçar a origem do dinheiro. Foi determinada ordem judicial de bloqueio de ativos financeiros dos investigados no valor de R$ 555 milhões.

Os presos serão levados para a sede da PF em São Paulo, e devem ser trasladados para a Superintendência do Paraná, onde serão interrogados. Os mandados foram expedidos pela 13ª. Vara Federal de Curitiba (PR).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade