Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro diz que Macron é colonialista e publicou foto falsa da Amazônia

Mais cedo, o presidente francês sugeriu pelo Twitter discutir as queimadas que atingem a Amazônia em reunião do G7


postado em 22/08/2019 20:17 / atualizado em 22/08/2019 20:50

(foto: Ed Alves/CB/D.A. Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A. Press)
O presidente Jair Bolsonaro utilizou as redes sociais nesta quinta-feira (22/8) para criticar a sugestão do presidente da França, Emmanuel Macron, de discutir as queimadas na Amazônia em reunião com o G7, grupo dos sete países mais ricos do mundo (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido). O presidente francês é o primeiro chefe de Estado a se manifestar diretamente sobre o assunto.

Segundo Bolsonaro, Macron manifesta uma "mentalidade colocnialista" ao propor um debate sobre a Amazônia sem incluir os países que abrigam a floresta. O brasileiro também disse que, ao se manifestar, no Twitter, Macron postou uma foto falsa.

"Lamento que o presidente Macron busque instrumentalizar uma questão interna do Brasil e de outros países amazônicos p/ ganhos políticos pessoais. O tom sensacionalista com que se refere à Amazônia (apelando até p/ fotos falsas) não contribui em nada para a solução do problema", escreveu no Twitter. "O Governo brasileiro segue aberto ao diálogo, com base em dados objetivos e no respeito mútuo. A sugestão do presidente francês, de que assuntos amazônicos sejam discutidos no G7 sem a participação dos países da região, evoca mentalidade colonialista descabida no século XXI."



Foto antiga

Ao propor a discussão da Amazônia no G7, Macron postou uma foto da floresta em chamas. A fotografia, contudo, não é atual. Ela foi feita pelo fotojornalista da National Geographic Loren McIntyre, que morreu em 2003, nos EUA.



Mais tarde, na transmissão ao vivo no Facebook que costuma fazer às quintas-feiras, Bolsonaro voltou a comentar o assunto, se dizendo "indignado" em ver "gente fazendo campanha contra seu próprio país sem saber o que está acontecendo". O presidente disse ainda que, se tivesse demarcado terras indígenas, não estaria sendo alvo de críticas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade