Publicidade

Correio Braziliense

Moro: ''Bolsonaro tem compromisso com prevenção e combate à corrupção''

Ministro da Justiça e Segurança Pública ameniza polêmicas envolvendo o presidente da República


postado em 27/08/2019 17:22

Sérgio Moro durante seminário sobre combate à corrupção(foto: Isaac Amorim/MJSP)
Sérgio Moro durante seminário sobre combate à corrupção (foto: Isaac Amorim/MJSP)
Em meio a uma tensão com o presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, saiu em defesa do governo do pesselista nesta terça-feira (27/8), ao dizer que o país tem tido resultados positivos na prevenção e no combate à corrupção.

Ao participar nesta manhã de um seminário sobre corrupção na sede do próprio ministério, Moro destacou que "o presidente Jair Bolsonaro tem um compromisso com prevenção e combate à corrupção. Esse foi um dos temas centrais que me levaram a aceitar esse convite (para ser ministro), e eu creio que o governo tem avançado nessa área".

"Claro que às vezes há alguns reveses, mas nós temos avançado no enfrentamento da corrupção", reforçou.

No último fim de semana, Bolsonaro fez menção a Moro ao comentar a mensagem de um internauta nas redes sociais. Na publicação, um homem pedia ao presidente para “cuidar” de Moro. "Jair Messias Bolsonaro, cuide bem do Ministro Moro, você sabe que votamos em um governo composto por você, ele e o Paulo Guedes", escreveu o seguidor do presidente.

Como resposta, o presidente minimizou o impacto do ex-juiz sob argumento de que ele não participou da campanha devido às atividades como magistrado. “Com todo o respeito a ele, mas o mesmo não esteve comigo durante a campanha, até que, como juiz, não poderia”, justificou Bolsonaro.

Polícia Federal

Outro foco de atrito entre Bolsonaro e Moro aconteceu na semana passada, quando o presidente ameaçou demitir o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, após ele não concordar com interferências políticas para a indicação de superintendentes para a corporação. 

“Agora há uma onda terrível sobre superintendência. Onze (superintendentes) foram trocados e ninguém falou nada. Sugiro o cara de um Estado para ir para lá (para o Rio de Janeiro), (dizem que) ‘está interferindo’. Espera aí. Se eu não posso trocar o superintendente, eu vou trocar o diretor-geral. Não se discute isso aí. Se eu trocar (o diretor-geral da PF) hoje, qual o problema? Está na lei que eu que indico, e não o Sérgio Moro. E ponto final”, declarou Bolsonaro, à imprensa.

A PF é subordinada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública. No seminário desta terça, Moro elogiou Valeixo. Segundo o ministro, o diretor-geral da corporação “tem feito um trabalho extraordinário no comando da Polícia Federal”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade