Publicidade

Correio Braziliense

Sem dor ou febre, Bolsonaro retoma dieta cremosa e pode ter alta na terça

Bolsonaro só pode ter alta depois que a dieta líquida for totalmente interrompida


postado em 14/09/2019 19:19

(foto: Reprodução/Twitter)
(foto: Reprodução/Twitter)
O médico que atende Jair Bolsonaro em São Paulo autorizou o presidente a sair da dieta líquida para a dieta cremosa. Na noite deste sábado (14/9), Bolsonaro deve jantar 300 ml de creme de mandioquinha, segundo o doutor Antonio Luiz Macedo.

A partir de agora, a equipe médica vai avaliar a evolução para definir os próximos passos do tratamento. O presidente manterá a alimentação parenteral de forma simultânea com a alimentação endovenosa, líquida pela veia. Bolsonaro só pode ter alta depois que parar de se alimentar com líquidos.

“Ele está tomando duas mil calorias por dia com a dieta parenteral. Se a gente perceber que com a cremosa há um volume calórico bom, a gente pode diminuir a parenteral até tirar”, disse Macedo.

O médico afirmou que, dependendo da evolução, poderá retirar metade da dieta endovenosa até a noite de domingo (15/9) para, no dia seguinte, retirar completamente a alimentação líquida.

Na última sexta-feira (13/9), os médicos retiraram a sonda nasogástrica do presidente. O médico não deu novas previsões para a saída do hospital de Bolsonaro,  que continua prevista para a próxima terça-feira (17/9), podendo ser adiantada ou postergada, dependendo da evolução do quadro do presidente.

“Ele está sem febre, sem dor, alegre, disposto. Só que com visitas restritas”, completou o médico sobre a condição do presidente.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade