Publicidade

Correio Braziliense

União autoriza venda de terreno de 65 mil metros quadrados na Octogonal

Além do terreno na Octogonal, Brasília tem outros 412 imóveis para serem colocados à venda pela União


postado em 16/09/2019 06:00

(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)

Na semana passada, o Comitê Central de Avaliação (CCA), criado pela Secretaria de Patrimônio da União (SPU), autorizou a venda de um terreno de 65 mil m² na Octogonal, cujo valor está estimado em R$ 280 milhões.

 

A área fica próxima ao Terraço Shopping. O secretário de Coordenação e Governança do Patrimônio da União, Fernando Bispo, informa que a divulgação da chamada pública está prevista para ocorrer até o fim do ano. Além do terreno na Octogonal, Brasília tem outros 412 imóveis para serem colocados à venda.

 

Segundo Bispo, serão feitas chamadas públicas para todos os imóveis do catálogo, com prioridade para aqueles para os quais o governo, por meio do novo site e outros mecanismos, identificou maior interesse. “Aqueles que não forem vendidos com os chamamentos públicos, vão seguir para o site que vai funcionar como uma espécie de show room para venda direta, que pode ocorrer em casos em que, depois do chamamento, apareça um único comprador. “Caso não haja interessados depois das chamadas públicas, os imóveis ficam disponíveis para venda direta. Se houver alguma proposta, será dado um prazo, a ser definido em portaria, para ver se alguém mais se manifesta, de forma a fazer um novo processo competitivo, para aumentar o preço. O valor inicial é sempre o preço mínimo de mercado”, explica o secretário.

 

Elogio

 

O presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi-DF), Eduardo Aroeira, elogia a política de desinvestimento da União em ativos em desuso. “É excelente, até porque a União está endividada e tem um patrimônio imenso sem rentabilidade”, analisa.

 

Para ele, a iniciativa coincide com a retomada do mercado imobiliário. “Além de ser um momento muito bom para essa entrada, vai enriquecer o setor com muitos imóveis, oferecendo uma diversidade de boa qualidade e ótima localização”, destaca. De acordo com Aroeira, a associação está em contato com o SPU para fazer um convênio, com o objetivo de auxiliar o governo federal a identificar os imóveis que podem despertar mais interesse no mercado. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade