Publicidade

Correio Braziliense

Joice Hasselman vai ao STF para impedir instalação da CPI da Lava Jato

Segundo a Joice, alguns deputados foram ''ludibriados'' ao assinar a lista de apoio à CPI


postado em 18/09/2019 19:13 / atualizado em 18/09/2019 19:16

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Após a oposição conseguir as assinaturas necessárias pra a instalação de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar supostas irregularidades na condução da Lava-Jato, a líder do governo na Câmara dos Deputados, Joice Hasselman (PSL-SP) afirmou que irá ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que deputados possam retirar a assinatura de apoio à CPI.

De acordo com Joice, alguns deputados foram “ludibriados” ao assinar a lista. “Mais de duas dezenas de parlamentares foram ludibriados no convencimento de que estavam colocando as suas assinaturas em uma peça que não refletia aquilo que a eles era explicado”, disse a parlamentar no Plenário.

A deputada não citou nomes, mas disse que os deputados foram até as redes sociais para expressar a insatisfação com a forma como foram tratados pelos coletores de assinaturas.  

A oposição reagiu logo após o discurso de Joice. A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) afirmou que nenhum deputado se manifestou durante o período regimental entre o protocolo e a publicação do requerimento. “Eu lamento que a inteligência dos parlamentares seja subestimada aqui. Não há qualquer ilegalidade na coleta de assinaturas em questão”, rebateu ainda no Plenário.

Ao todo, foram validadas 175 assinaturas — o número mínimo é 171 — no pedido protocolado, na noite de quinta-feira, pela líder da minoria, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ). A iniciativa é uma das mais graves repercussões da divulgação, pelo site The Intercept Brasil, de diálogos atribuídos a membros da operação e que teriam sido hackeados do Telegram.

Presidente vai avaliar com calma 

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou que, se o pedido da CPI tiver fato determinado, vai instalar o colegiado, mas que vai analisar com calma o pedido de instalação. “Tenho que avaliar se há fato determinado ou não, se tiver fato determinado, eu vou instalar, se não tiver, não. Esse é um tema muito sensível, da mesma forma que a CPI do Judiciário, que pode ser instalada no Senado”, avaliou.

Atualmente, apenas duas CPI’s estão em funcionamento na Câmara. Um do BNDES e outra sobre o rompimento da barragem de Brumadinho. Só podem funcionar simultaneamente na Câmara cinco CPIs criadas a partir de requerimento. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade