Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro não planeja substituir Bezerra, diz porta-voz

Em entrevista ao Correio no mês passado, o presidente já havia dito que ''era preciso algo mais concreto'' para que o líder do governo no Senado saísse do cargo


postado em 02/10/2019 20:23 / atualizado em 02/10/2019 21:10

Bezerra é alvo de investigações da Polícia Federal(foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Bezerra é alvo de investigações da Polícia Federal (foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
O porta-voz da República Otávio Rêgo Barros afirmou na noite desta quarta-feira (2/10) que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) não pretende substituir o líder do PSL no senado, Fernando Bezerra, apesar das denúncias contra ele.  Ao manter Bezerra no cargo, o chefe do Executivo preserva o principal articulador político no Senado, onde também está em pauta a indicação do filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL) para a embaixada do Brasil em Washington.

“Não há, no escantilhão do presidente, a substituição do nosso líder no senado. Ainda não houve uma reunião entre eles, mas o presidente vem mantendo contato por meio do telefone e por meio de interlocutores juntos àquela Casa. O presidente não tem intenção de substituir o seu líder no senado”, afirmou.

No final do mês passado, sobre a permanência ou não do líder do governo, o presidente já havia dito em entrevista ao Correio que “era preciso algo mais concreto”. “Não posso tirá-lo de lá com uma busca e apreensão de um processo antigo que nós já sabíamos que existia”. 

A Polícia Federal investiga denúncia de desvio de dinheiro público de obras de transposição do Rio São Francisco da época em que Bezerra ocupava o cargo de ministro da Integração Nacional no governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Na época, Bezerra era filiado ao PSB e estava entre os nome de confiança do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos. Buscas e apreensões no gabinete do parlamentar foram autorizadas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso. O filho do senador, o deputado Fernando Coelho Filho (DEM-PE), também é alvo da operação.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade