Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro lança documento de identificação militar para oficiais da Reserva

A solenidade fechada foi transmitida por meio de uma live pelas redes sociais do chefe do Executivo


postado em 16/10/2019 18:30

(foto: Marcos Corrêa/PR)
(foto: Marcos Corrêa/PR)
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) participou na tarde desta quarta-feira (16/10) da cerimônia de assinatura de decreto de concessão de documento de identificação militar para oficiais da Reserva, no Palácio do Planalto. A solenidade fechada foi transmitida por meio de uma live pelas redes sociais do chefe do Executivo.

Durante a cerimônia, Bolsonaro ressaltou a importância do documento, válido apenas em território nacional. “É uma coisa que fica entre nós. Fica a lembrança, o carinho, a consideração, o patriotismo e o simbolismo. É uma carteira de identidade que vale apenas dentro do Brasil, mas é uma marca que fica, é um reconhecimento. É dizer que não adianta. Até morrer, estamos juntos e não tem papo. O Brasil é nosso. Esse período nas Forças Armadas que tive por 15 anos e alguns tiveram, por 9, 8 ou 5. Simplesmente será inesquecível. Muitos problemas pela frente. E essa carteira de identidade, que saiu o registro em 2015, ela retornando agora, o custo para nós é zero, por assim dizer. Tem o custo do orçamento, mas é um simbolismo que não tem preço e vai cada vez mais nos identificar. E a soberania nacional de defesa da pátria está nas mãos de todos nós", destacou. 



O presidente também falou sobre a situação em Roraima, estado que sofre com queimadas e focos de incêndio. 

"A gente fala em pátria aqui, eu não posso esquecer de Roraima. Esse estado aí realmente tem esse problema no momento, queremos fazer o melhor possível e não é fácil.  Mas Roraima acho que é o estado que mais simboliza o quão importante é estarmos reunidos pela defesa da nossa soberania", observou.

Bolsonaro lembrou ainda sobre a visita realizada nesta tarde à casa do general Eduardo Villas Bôas, ex-comandante do Exército e atual assessor especial do Gabinete de Segurança Institucional (GSI). "Ele está falando melhor", apontou, o presidente.

Villas Bôas recebeu alta hospitalar no último sábado (12/10), após melhora no quadro respiratório que havia provocado sua internação.

No final de 2016, o general declarou sofrer de esclerose lateral amiotrófica (ELA), doença degenerativa que, em estado avançado, limita os movimentos do corpo.

Por conta disso, Eduardo Villas Bôas já apareceu em algumas entrevistas ou em eventos públicos utilizando bengala ou cadeira de rodas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade