Publicidade

Correio Braziliense

Trump indica diplomata de carreira para chefiar a embaixada em Brasília

Diplomata de carreira, Todd Chapman serviu como ministro conselheiro na embaixada de Brasília entre 2011 e 2014


postado em 17/10/2019 11:15

(foto: Bruno Peres/CB/D.A Press)
(foto: Bruno Peres/CB/D.A Press)
O presidente Donald Trump vai indicar ao senado americano o nome de Todd Chapman para ocupar a vaga de embaixador dos Estados Unidos no Brasil, posto vago desde novembro de 2018. 

 

Diplomata de carreira, Todd Chapman serviu como ministro conselheiro na embaixada de Brasília entre 2011 e 2014. A indicação ainda precisa ser aprovada pelo Senado americano. Para isso, assim como o processo de indicação de diplomatas no Brasil, Chapman precisa, antes, passar por uma sabatina no Senado. O governo brasileiro já concordou com a indicação, por meio do agrément, instrumento oficial diplomático que indica a aceitação da nomeação.

 

Chapman é considerado um diplomata prático e experiente, seu último posto foi o comando da embaixada dos Estados Unidos no Equador. Ela já serviu nas embaixadas americanas no Afeganistão, em Moçambique e ocupou postos na Bolívia, na Costa Rica, na Nigéria e em Taiwan. Antes de ingressar na carreira do Departamento de Estado americano, em 1990, ele trabalhou como consultor do governo. 

 

O último embaixador americano no Brasil foi Michael McKinley. Desde que ele foi chamado de volta a Washington, para ocupar um cargo no governo, em novembro de 2018, a embaixada tem sido comandada pelo encarregado e negócios, William Popp.

 

Embaixada nos EUA

 

O cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos também está vago desde abril, quando o chanceler Ernesto Araújo transferiu o diplomata Sérgio Amaral do comando da embaixada brasileira para o escritório de representação do Itamaraty, em São Paulo. 

 

O presidente Jair Bolsonaro quer enviar para Washington o filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), uma indicação polêmica que tem gerado fortes discussões na sociedade e mobilizado arranjos e trocas de apoio no Senado. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade