Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro lamenta comentário do filho sobre possibilidade da volta do AI-5

As declarações foram feitas nesta quinta-feira (31/10), na saída do Palácio da Alvorada. Foi o primeiro contato com a imprensa e apoiadores após o retorno, na manhã de hoje, de uma viagem de 12 dias na Ásia


postado em 31/10/2019 16:40 / atualizado em 31/10/2019 16:59

Ao ser abordado sobre o tema, Bolsonaro respondeu, inicialmente, que o governo não concorda e não há em estudo nenhuma recriação de um AI-5(foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Ao ser abordado sobre o tema, Bolsonaro respondeu, inicialmente, que o governo não concorda e não há em estudo nenhuma recriação de um AI-5 (foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
O presidente Jair Bolsonaro disse que lamenta muito pela declaração do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), líder do partido na Câmara, que sugeriu a possibilidade de reedição de um “novo AI-5” caso a esquerda “radicalize”, em entrevista publicada nesta quinta-feira (31/10) no canal do YouTube da jornalista Leda Nagle. Apesar do lamento, ele frisou que não cabe a ele cobrar explicações do filho, dando a entender que não conversará o assunto com o parlamentar. 

As declarações foram ditas nesta quinta, na saída do Palácio da Alvorada. Foi o primeiro contato com a imprensa e apoiadores após o retorno, na manhã de hoje, de uma viagem de 12 dias na Ásia. Ao ser abordado sobre o tema, Bolsonaro respondeu, inicialmente, que o governo não concorda e não há em estudo nenhuma recriação de um AI-5. “O AI-5 existiu no passado em outra Constituição. Não existe mais, esquece. Cobre dele (Eduardo), não apoio. Quem quer que seja que fale de AI-5 está sonhando. Não quero nem ver notícia nesse sentido”, declarou.

Questionado se ele cobraria explicações ao Eduardo, sugeriu que a imprensa o faça. “Olha, cobre você dele”, comentou, em resposta a um repórter. “Ele é independente. Tem 35 anos, se não me engano, que ele é dono do seu (próprio nariz)... 35 não. Tem uns 20 anos. Mas, tudo bem. Lamento se ele falou isso, que não tô sabendo, lamento, lamento muito”, destacou. 

Mais cedo, Bolsonaro recebeu no Alvorada o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), o líder do governo na Casa, Fernando Bezerra (MDB-PE), e o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Questionado sobre o motivo da conversa com Davi, o presidente afirmou terem conversado sobre reformas tributária e administrativa. “Pedi para ele força para aprovarmos o projeto que trata do Código de Trânsito, a questão da pontuação da carteira de motorista, sua validade para passar para 10 anos. Custo é zero para nós, mas é muito bom para o povo”, comentou. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade