Publicidade

Correio Braziliense

''A mais suave possível'', diz Bolsonaro sobre reforma administrativa

Nesta terça-feira (19/11), deve haver uma reunião para tratar do assunto


postado em 18/11/2019 19:08

(foto: AFP / POOL / Pavel Golovkin)
(foto: AFP / POOL / Pavel Golovkin)
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou na tarde desta segunda-feira (18/11) na entrada do Palácio do Alvorada que deseja a reforma administrativa “a mais suave possível”.

 

Ele afirmou ainda que amanhã (19) cedo haverá uma reunião para tratar do assunto.

 

“Amanhã tenho reunião cedo. A previsão, a previsão, pode ser que entregue amanhã para eu dar uma olhada. Conversei com Paulo Guedes à tarde de novo. Quero mandar uma proposta a mais suave possível. Essa que é a ideia”, apontou, sem querer entrar em maiores detalhes sobre os itens da proposta. “Depois volto atrás e vão dizer que eu recuei, que não sei o quê, vocês bagunçam comigo”.

 

O Ministério da Economia havia prometido apresentar o texto ainda nesta semana, depois de pelo menos 15 dias de atraso desde a primeira projeção. Mas Bolsonaro sinalizou mais um adiamento no envio da proposta que busca, entre outras mudanças, acabar com a estabilidade de novos servidores públicos. 

 

Bolsonaro respondeu também que provavelmente será o líder do partido que pretende fundar, o ‘Aliança pelo Brasil’. “Eu acho que sim”, disse.

 

Questionado a respeito da sobrecarga de cargos caso também seja o presidente do novo partido e se o filho, Flávio, poderia ser escolhido como presidente da sigla, ele respondeu; “Eu não vou discutir o partido. Está previsto quinta-feira, dia 21, a gente lançar a pedra fundamental do partido”. 

 

Sobre o encontro com o CEO da Huawei do Brasil, o Wei Yao nesta manhã, Bolsonaro comentou que a empresa mostrou interesse em operar 5G no Brasil. “Apenas ouvi, eu apenas ouvi. Ele não mostrou a proposta, que quer 5G no Brasil. Mostrou como está a empresa dele no Brasil”. O chefe do Executivo destacou ainda que há uma outra empresa interessada em oferecer o serviço. “Fiquei sabendo que tem uma firma sul coreana que tem condições de 5G também, a melhor oferta, vamos ver”.

 

Ao ser questionado sobre a alta do Dólar de R$ 4,19 nesta tarde. “Quer o telefone do Roberto Campos?”, ironizou, referindo-se ao presidente do Banco Central. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade