Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro faz afagos a TCU após renovação de concessão da Malha Paulista

Presidente destacou que a decisão beneficia o investimento no país e sustentou que ''ninguém faz nada sozinho''


postado em 28/11/2019 12:25

(foto: Evaristo Sá/AFP)
(foto: Evaristo Sá/AFP)
Um dia depois de o Tribunal de Contas da União (TCU) aprovar a renovação antecipada da concessão da ferrovia Malha Paulista, da Rumo, a Corte recebeu afagos do presidente Jair Bolsonaro. Nesta quinta-feira (28/11), ele teceu elogios à instituição. Destacou que a decisão beneficia o investimento no país e sustentou que “ninguém faz nada sozinho” no país, em referência ao zelo pela harmonia entre os Três Poderes nas três esferas, municipal, estadual e federal. 

 

Ao fim do discurso que encerrou a abertura do 3º Fórum Nacional de Controle, evento organizado pelo TCU, Bolsonaro disse que a organização possibilita “mais um passo visando o bem de todos nós”. Após isso, enalteceu a decisão da Corte referente à renovação da concessão da ferrovia. A Malha Paulista é uma das mais importantes do país, com acesso direto ao Porto de Santos, maior terminal de contêineres do Brasil. O contrato, que venceria em 2028, ganhou mais 30 anos e se estenderá até 2058, com antecipação de investimentos da ordem de R$ 5,8 bilhões.  

 

O presidente entende que a decisão do TCU vai em linha com a necessidade de dar garantia jurídica a pessoas, países e empresas que querem investir no Brasil. “Que querem ser parceiros nossos. Ontem, o TCU teve votação maravilhosa, a questão da Malha Paulista. Estamos recuperando o modal ferroviário do Brasil. Sem infraestrutura, não temos como ir avante e o TCU prestou mais um trabalho excepcional no dia de ontem”, comentou Bolsonaro. 

 

O ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, foi outro membro do governo a celebrar o evento. Para ele, é importante valorizar os órgãos de controle para contribuir para que o Brasil entregue suas políticas públicas. “Se resumíssemos os dois problemas que travam o crescimento, é a falta de governança e corrupção. São dois temas que impactam diretamente no crescimento de um país. E o fórum aqui irá discutir soluções para melhoria da governança e combate à corrupção”, analisou. 

 

Relacionamento interinstitucional

A promoção do diálogo interinstitucional foi a tônica do discurso do procurador-geral da República, Augusto Aras. “O estado democrático de direito exige esse diálogo permanente. Não significa dizer que não haja atenção permanente entre as diferentes forças que compõem. Precisamos de Estado estruturado, que esteja centrado nas suas instituições e o diálogo permanente entre essas instituições, especialmente em ambiente como esse, que congrega órgãos de fiscalização e controle”, destacou. 

 

O presidente do TCU, ministro José Múcio Monteiro, frisou que o encontro é uma “oportunidade única” para compartilhar as experiências entre poderes para alinhar os entendimentos. “Por isso mesmo o tema do fórum é ‘Integrando o Brasil para fazer bem’. Esse tema é particularmente relevante para o Tribunal de Contas, onde nossas prioridades têm sido o fortalecimento do relacionamento institucional e o estabelecimento de parcerias com outras entidades de controle”, declarou. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade