Publicidade

Correio Braziliense

Joice Hasselmann ataca família Bolsonaro em depoimento à CPMI das Fake News

Cumprindo a promessa de contar tudo o que sabe sobre a suposta rede de internautas apelidada de "milícia virtual" e da ligação do grupo com integrantes do governo, Joice diz que "há milhões de reais envolvidos no esquema de robôs que trabalha com fake news e assassinato de reputações" supostamente em favor do clã Bolsonaro


postado em 04/12/2019 14:25 / atualizado em 04/12/2019 16:54

O colegiado foi criado para investigar os ataques cibernéticos que atentam contra a democracia e a utilização de perfis falsos para influenciar os resultados das eleições 2018(foto: Reprodução/Câmara dos Deputado/Youtube)
O colegiado foi criado para investigar os ataques cibernéticos que atentam contra a democracia e a utilização de perfis falsos para influenciar os resultados das eleições 2018 (foto: Reprodução/Câmara dos Deputado/Youtube)
Outrora líder do governo no Congresso e agora rompida com o presidente da República, a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) é ouvida nesta quarta-feira (4/12) na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News. O encontro foi empurrado duas vezes pela paramentar, que foi convidada e não tem obrigação de comparecer. Cumprindo a promessa de contar tudo o que sabe sobre a suposta rede de internautas apelidada de "milícia virtual" e da ligação do grupo com integrantes do governo, Joice diz que "há milhões de reais envolvidos no esquema de robôs que trabalha com fake news e assassinato de reputações" supostamente em favor do clã Bolsonaro.

A ida de Joice à CPMI agrava, ainda mais, a crise no PSL, dividido após o anúncio de punição a 18 deputados ligados ao presidente. O filho 03 de Bolsonaro, deputado Eduardo Bolsonaro (SP), foi suspenso por um ano. 

Após citar o outro filho do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro (PSL-RJ), a quem qualifica como "um dos responsáveis por parte da campanha", a parlamentar diz que "o principal foco da comissão deveria ser a busca pelo dinheiro" porque, segundo ela, "não se fala de trocados, mas de milhões de reais".

Joice afirma que, com a ajuda de especialistas, fez um levantamento sobre o número de robôs no perfil do partido do presidente, o Aliança Pelo Brasil, e encontrou um grande número de robôs. "A página tinha 164 mil seguidores dos quais 26 mil são robôs. Uma hashtag custa R$ 20 mil reais. Imagine fazer todo esse trabalho?".

Sem esconder o desconforto com a saída de Bolsonaro do PSL, Joice Hasselmann lembrou que "o Aliança Pelo Brasil nasceu por uma dissidência no partido que abriu o presidente quando outros não acreditavam na viabilidade dele”.

Em entrevista ao Correio, a deputada disse que o presidente é influenciado pelos filhos e que não saberia dizer se, em algumas atitudes, ele se omite ou concorda com o posicionamento deles. Chegou a dizer, inclusive, que Bolsonaro apequena o cargo ao ouvir demandas da família.

Acompanhe na íntegra


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade