Publicidade

Correio Braziliense

Frota leva bolo para CMPI para comemorar 1 ano do 'caso Queiroz'

Quando rompeu com o governo e o grupo que apoia Bolsonaro, Frota disse que um dos principais motivos para a mudança é o comportamento do chefe do Executivo com relação às investigações sobre o filho


postado em 04/12/2019 17:30 / atualizado em 04/12/2019 17:48

Alexandre Frota se habituou a usar alimentos para explicar seus pontos de vista e cutucar aliados(foto: Reprodução/Twitter)
Alexandre Frota se habituou a usar alimentos para explicar seus pontos de vista e cutucar aliados (foto: Reprodução/Twitter)
Eleito na esteira do PSL, o agora tucano Alexandre Frota (PSDB-SP) levou um bolo de chocolate para a CPMI das Fake News onde afirmou estar "comemorando o primeiro ano do Caso Queiroz" -- onde um dos filhos do presidente Jair Bolsonaro, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), é acusado de envolvimento em operações financeiras incomuns.



No fim do ano passado, um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) apontou operações financeiras suspeitas de 74 servidores e ex-servidores da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) que revelou movimentação atípica de R$ 1,2 milhão na conta de um ex-motorista e ex-assessor de Flávio Bolsonaro: Fabrício Queiroz.

Quando rompeu com o governo e o grupo que apoia Bolsonaro, Frota disse que um dos principais motivos para a mudança é o comportamento do chefe do Executivo com relação às investigações sobre o filho. Outra razão, segundo o deputado, foi a falta de traquejo do Planalto ao negar agenda aos aliados.

Laranjas

Alexandre Frota se habituou a usar alimentos para explicar seus pontos de vista e cutucar aliados. Chegou a espremer laranjas no plenário da Câmara dos Deputados, onde disse "não haver qualquer possibilidade de envolvimento do partido (o PSL) nem da família presidencial" no suposto esquema de candidaturas laranjas denunciado pela imprensa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade