Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro admite mudanças no comando da embaixada do Brasil em Israel

Um dos motivos pela troca na embaixada é a busca por um embaixador ''mais afinado'' com o governo


postado em 10/12/2019 12:37

(foto: Carl de Souza/AFP)
(foto: Carl de Souza/AFP)
O governo federal prepara mudanças na embaixada brasileira em Israel. O presidente Jair Bolsonaro confirmou que o atual embaixador, Paulo César Vasconcellos, será substituído. Não confirmou, entretanto, se o coronel da reserva Paulo de Nápolis será o nome escolhido para sucedê-lo. “Não quer dizer que seja o coronel, ele está no radar. Foi adido militar por dois anos lá (em Israel)”, declarou, na saída do Palácio da Alvorada, nesta terça-feira (10/12). 

 

Um dos motivos pela troca na embaixada é a busca por um embaixador “mais afinado” com o governo. Bolsonaro, contudo, evitou criticar Vasconcellos. “Queremos um embaixador mais afinado, e não estou criticando o que está lá, mas afinado conosco para ter iniciativas. Queremos mandar, já conversei com o Benjamin Netanyahu (primeiro-ministro israelense) no passado (para) ter sempre jovens estudantes nossos lá em Israel vendo ali a questão da agricultura, de piscicultura, tecnologia, quero uma garotada nossa sempre em Israel fazendo intercâmbio e voltando para cá”, destacou. 

 

Para Bolsonaro, seria “natural” a troca de embaixador. “A ideia é trocar, não quer dizer que seja aquele coronel, tá. Existe a intenção de trocar, o que é natural. (Vasconcellos) está lá há mais de dois anos. É natural. Não quer dizer que seja o coronel”, comentou. Parte dos comentários foram feitos em resposta a um apoiador, presente no Alvorada, que o indagou sobre a continuidade da parceria com Israel para importar a técnica de dessalinização da água. “Já tem alguma coisa sendo aplicada”, respondeu. 

 

Depois de falar com a imprensa, Bolsonaro seguiu para o Palácio do Planalto, onde se reuniu com o embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley. Questionado, ainda no Alvorada, sobre o motivo da agenda, o presidente disse que a reunião foi marcada a pedido da embaixada israelense. “Tenho amizade mais do que protocolar com Yossi Shelley. Não sei qual vai ser o assunto, ele que pediu”, justificou. 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade