Politica

Deputado Fausto Pinato cobra coragem para enfrentar empresas internacionais

Em evento do Correio, o parlamentar Fausto Pinato criticou a falta de uma proposta tributária vinda do Ministério da Economia

Gabriel Pinheiro*
postado em 17/12/2019 12:21
 (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

[FOTO1]O deputado Fausto Pinato (PP-SP), durante o seminário Reforma Tributária - Oportunidade para combater o mercado ilegal de bebidas alcoólicas, promovido pelo Correio Braziliense, afirmou que, apesar de se dedicar inteiramente à reforma tributária no ano que vem, é preciso ter responsabilidade e coragem para enfrentar as grandes corporações e defender as empresas de pequeno e médio porte.

Pinato declarou que em um momento de recuo da economia mundial, é preciso ;ficar com olho no peixe outro no gato; o que significaria prestar atenção nas exportações, porém ;olhar, acima de tudo o consumo e o giro da economia no mercado interno, pois só assim poderemos voltar gerar empregos e ter um maior consumo para incentivar o andamento da economia.;

;Eu realmente eu estou disposto a pagar o meu quinhão, mas as multinacionais tem que pagar o deles também. Eles não podem de certa forma querer dar as cartas e deixar o pequeno e médio à mercê deles.; De acordo com o deputado, é preciso prestar mais atenção nos interesses do Brasil em relação à política internacional.

;No nosso país, judeu e árabe sentam-se à mesma mesa. Essa briga americana e chinesa não tem nada a ver com a gente, somos uma república independente e não uma província ou um distrito. Precisamos defender o que realmente dá lucro e pode gerar emprego automaticamente para nós e girar a nossa economia.;

O deputado criticou o Ministério da Economia por não ter, em um ano, encaminhado uma sugestão para a reforma. ;Chegou a hora de ver quem são realmente os grandes patriotas no Congresso e no governo e quem são as grandes empresas que realmente querem produzir no país. Consequentemente estes fazer parte da nova reconstituição e da nova história do Brasil.; Ele finalizou dizendo que não deveria ser feita uma reforma tributária ;apenas para inglês ver;.

*Estagiário sob a supervisão de Vinicius Nader

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação