Publicidade

Correio Braziliense

A pedido da mulher, ministro Sergio Moro cria conta no Instagram

Ato ocorre em meio à crise surgida a partir da intenção do presidente Jair Bolsonaro de dividir atividades do ministério


postado em 23/01/2020 16:37 / atualizado em 23/01/2020 16:47

Decisão de Moro ocorre em meio a uma crise motivada pela intenção do presidente Jair Bolsonaro de recriar o Ministério da Segurança Pública(foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Decisão de Moro ocorre em meio a uma crise motivada pela intenção do presidente Jair Bolsonaro de recriar o Ministério da Segurança Pública (foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, decidiu criar uma conta no aplicativo Instagram — que é dedicado a postagens de fotos e vídeos, além de textos mais curtos. Moro fez o anúncio da entrada dele na rede social por meio do Twitter.



Na primeira publicação, o ministro aparece segurando um calendário da Caixa Econômica com a data desta quinta-feira (23/11) marcada. "A pedidos da minha esposa, estou finalmente entrando no Instagram. É uma forma de prestar constas a sociedade."

A decisão de Moro ocorre em meio a uma crise motivada pela intenção do presidente Jair Bolsonaro de recriar o Ministério da Segurança Pública, o que faz com que o ministro perca força no governo. 

Atualmente, as políticas de combate ao crime e as ações de segurança estão sob responsabilidade do ministro Sergio Moro, que conduz o superministério da Justiça e Segurança Pública.

No entanto, a divisão formulada por Bolsonaro enfraqueceria imediatamente Moro, como adiantou o Correio na edição desta quinta-feira (23/1). Na saída do Palácio da Alvorada, Bolsonaro disse que "é lógico que Moro deve ser contra. Ele declarou que o tema está em discussão. "Isso é estudado, estudado com Moro, lógico que o Moro deve ser contra. Estudado com os demais ministros. O Rodrigo Maia [presidente da Câmara] é favorável à criação da Segurança, acredito que a Comissão de Segurança Pública, como trabalhou no passado, também seja favorável. Temos que ver como se comportam esses setores da sociedade para poder melhor decidir", argumentou o presidente. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade