Publicidade

Correio Braziliense

''Não foi bem bolado'', diz Bolsonaro sobre placas do Mercosul

Presidente afirmou que queria que elas deixassem de existir, mas que não foi possível. Placas passam a ser obrigatórias a partir do dia 31


postado em 23/01/2020 20:12 / atualizado em 23/01/2020 20:13

(foto: Facebook/ reprodução )
(foto: Facebook/ reprodução )
Em transmissão gravada na quarta-feira (22/1) e transmitida nesta quinta-feira (23/1), o presidente Jair Bolsonaro comentou sobre as novas placas do Mercosul, que a partir do dia 31 passam a ser obrigatórias em todo o país. Em tom de lamentação, o presidente disse que tentou "fazer com que ela deixasse de existir", mas que não conseguiu. "Foi quase unanimidade a bronca contra a placa. Tentamos fazer com que ela deixasse de existir. Pegamos o bonde andando", disse. 

 

Apesar disso, Bolsonaro comemorou, ao lado do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, as mudanças feitas no projeto. "Se não tivéssemos feito a mudança, teríamos feito um comércio bilionário de placas", afirmou. Segundo o ministro, a nova placa mantém as qualidades da outra, porém com menos gastos. "A placa antiga tinha uma série de elementos que eram patenteados que ficava mais caro. Deixamos uma placa simples", disse. 

 

Bolsonaro ainda lembrou que a ideia de uma placa única para o bloco nasceu no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "A primeira reunião foi em 2010 em Foz do Iguaçu (PR). Estavam Cristina Kirchner (Argentina), Hugo (Chávez, Venezuela), Mojica (Uruguai) e Lula. Resolveram falar que essa placa é muito boa, ajuda a combater roubo de carro… Em 2014, no governo Dilma, em Buenos Aires, foi criado oficialmente essa placa. No meu entender não foi bem bolado", disse. 

 

A transmissão foi feita no lugar das tradicionais lives de quinta-feira. O presidente encontra-se em viagem à Índia. 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade