Publicidade

Correio Braziliense

'Não existe qualquer fritura ou tentativa de esvaziar Moro', diz Bolsonaro

Em entrevista, Bolsonaro disse ainda que ao dizer que ouviu as demandas e as acolheu, foi vítima de ''maldade''


postado em 24/01/2020 21:12 / atualizado em 24/01/2020 21:14

(foto: Evaristo Sa/AFP)
(foto: Evaristo Sa/AFP)
O presidente Jair Bolsonaro negou nesta sexta-feira (24/1) que esteja tentando esvaziar a pasta do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Ele afirmou ainda que não existe qualquer fritura em relação ao ex-juiz. “Não tenho nenhum problema com ele. Todos os meus ministros são tratados de maneira igual, dei liberdade para todos eles definirem seus ministérios e eu tenho poder de veto. Não abro mão disso porque na política quem dá o norte sou eu”, afirmou.

O discurso foi feito durante uma entrevista cedida na Índia ao Jornal da Band. O chefe do Executivo ainda falou sobre a reunião que teve no último dia 22 com secretários estaduais de segurança. “Tive há dois dias encontro com aproximadamente 20 secretários de estado e fizeram uma série de pedidos para mim. Na questão de liberação de orçamentos, recursos, isenção de Imposto sobre Produtos Industrializado (IPI) para armamentos de policiais e também propuseram, alguns, não foram todos, o renascimento do ministério da segurança. Acolhi, tudo bem e vou despachar. Não posso falar ali: Não, Sim de imediato. Jamais poderia fazer isso aí”.

Ao dizer que ouviu as demandas e as acolheu, Bolsonaro disse que foi vítima de “maldade”.

“E agora? Em função disso, vão para a maldade, como se eu estivesse já interessado. Olha, não preciso fritar ministro para demitir. Nenhum ministro meu vive acuado, com medo de mim. As minhas ações são bastante pensadas e muito bem conversadas antes. O assunto tomou uma proporção que não sei por que parece que toda viagem que eu faço tem uma polêmica, não tem qualquer problema”.

O mandatário do país ainda elogiu Moro: “Repito: Todos os ministros têm o mesmo valor para mim e eu interfiro em todos os ministérios. Não existe qualquer fritura, nenhuma tentativa de esvaziar o senhor Sergio Moro. Muito pelo contrário, ele está fazendo um bom trabalho no tocante a segurança juntamente com os secretários de Estado. Não é um trabalho nosso apenas. Ele faz a parte dele, temos batido o recorde de apreensão de drogas. A questão de isolar os cabeças do crime organizado de SP foi uma questão judicial do estado de SP e nós demos a cobertura. Se não, não poderia ser cumprida. Ajudou, e muito, a questão de combater a violência no nosso país  e está indo bem. Nada além disso”, concluiu.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade