Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro espera sacramentar 'casamento' com Regina Duarte na quarta

No retorno a Brasília, após viagem à Índia, disse, no Palácio da Alvorada, que se reunirá com cantores sertanejos, em ocasião que espera contar com a presença dela


postado em 28/01/2020 09:39 / atualizado em 28/01/2020 09:42

(foto: Facebook/Reprodução)
(foto: Facebook/Reprodução)
O presidente Jair Bolsonaro vai conversar com a atriz Regina Duarte. na tarde desta terça-feira (28/1). e espera transformar o “noivado” em “casamento” na quarta (29/1). No retorno a Brasília, após viagem à Índia, disse, no Palácio da Alvorada, que se reunirá com cantores sertanejos amanhã, em ocasião que espera contar com a presença dela. Otimista, ele diz que ficou interessado com a proposta apresentada por Duarte para a política cultural nacional, de tratar a cultura sem “viés de esquerda”. 

 

A atriz ainda reflete sobre o convite para assumir a Secretaria Especial de Cultura, mas o governo mantém a expectativa de que ela aceite. Pessoas próximas de Duarte admitem que ela avalia a questão salarial. Afinal, quando está em atividade em alguma produção da TV Globo, ela recebe R$ 120 mil. Mas isso não é tudo. Bolsonaro sinalizou que ela está maturando, também, o desafio. 

 

A política cultural da atual gestão é alvo de críticas desde o início. Alguns parlamentares, por exemplo, criticam que, até o momento, a cultura não entrou nos trilhos. “Ela está tomando pé da situação, porque vira vidraça”, declarou Bolsonaro, pontuando que ela avalia se tem disposição para assumir o comando. “Para mim, seria excepcional. Acho até para ela, ter a oportunidade de mostrar, realmente, como fazer cultura no Brasil”, declarou. 

 

Em outras ocasiões, Bolsonaro deixou claro que espera uma política cultural voltada para “maiorias”. Ao responder um questionamento sobre o que espera de Duarte, sinalizou que há convergências de ideias entre ambos. “Me interessa a proposta que ela apresentou para mim. Me interessa, é bastante atrativa, vocês vão gostar também. Conversei com ela como tratar a questão da cultura no Brasil, sem o viés de esquerda que tinha aí, só dava minoria, tá certo. E nós queremos uma cultura para o povo de maneira geral”, destacou. 

 

Gestão

O presidente descartou, contudo, fazer associações entre o trabalho esperado por Duarte e o executado dramaturgo Roberto Alvim, ex-titular da Secretaria Especial de Cultura. Ele foi demitido após interpretar o ministro da propaganda nazista Joseph Goebbels em um vídeo institucional, ao anunciar, no exercício da função, um programa do governo voltado para premiar artistas. “Não queira me empurrar para cima do Alvim, cara, você não vai conseguir, tá certo. Alvim é página virada. Agora, é Regina Duarte”, avisou. 

 

A atriz tem conhecimento do que irá fazer, caso assuma, e terá carta branca para montar sua equipe, garantiu Bolsonaro. “Precisa de gente com gestão ao seu lado, tem cargo para isso, vai poder trocar quem ela quiser lá, sem nenhum problema. Então, tem tudo para dar certo a Regina Duarte”, ponderou. “Amanhã temos encontro com sertanejos, vou ligar para ela agora a tarde”, disse. Antes, disse “talvez amanhã” ao ser questionado sobre ela, em referência que o “casamento” possa ser sacramentado na quarta. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade