Publicidade

Correio Braziliense

Governo do Ceará já afastou 168 militares devido a motim dos PMs

Grupo teve distintivos, identificação e armas recolhidos


postado em 23/02/2020 06:00 / atualizado em 22/02/2020 23:57

Com a greve dos policiais, Exército patrulha as ruas de Fortaleza para garantir a segurança no carnaval(foto: Jarbas de Oliveira/AFP)
Com a greve dos policiais, Exército patrulha as ruas de Fortaleza para garantir a segurança no carnaval (foto: Jarbas de Oliveira/AFP)
O governo do Ceará afastou, por 120 dias, 168 policiais militares suspeitos de participar do motim que reivindica aumento salarial que entra neste domingo (23/2) no sexto dia. O grupo também terá recolhidos distintivos, armas, identificação funcional e algemas, entre outros pertences vinculados à corporação. De quarta a sexta-feira, houve 88 homicídios no estado, aproximadamente 53% dos 164 casos registrados em todo o mês de fevereiro do ano passado. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social.

 

Na última sexta-feira (21/2), o Diário Oficial do Estado publicou a instauração, pela Controladoria-Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança, de Conselho Disciplinar com o afastamento de 160 PMs suspeitos de envolvimento no motim. O mesmo já havia sido feito, na quinta-feira, em relação a outros oito policiais.

 

O grupo ficará à disposição da unidade de recursos humanos. O comandante-geral da Polícia Militar do Ceará, coronel Alexandre Ávila, determinou que as medidas administrativas necessárias sejam tomadas de forma imediata. A exclusão dos 168 implicados da folha de pagamento de março, relativa ao mês de fevereiro, já foi providenciada. Também estão suspensas as prerrogativas próprias da função policial, como o porte de arma de fogo.

 

A segurança do carnaval de Fortaleza e demais municípios da região metropolitana tem o reforço de 2,5 mil militares do Exército, empregados na operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO). A medida foi autorizada pelo presidente Jair Bolsonaro na semana passada, após solicitação do governador Camilo Santana (PT).

 

Dos 2,5 mil integrantes do efetivo, conforme a assessoria de comunicação da 10ª Região Militar, pouco mais de 1,7 mil estarão nas ruas, auxiliando os agentes da PM que não aderiram à greve. O restante se dedicará a atividades logísticas, como transporte e alimentação, além do planejamento.

 

Os soldados do Exército se somam aos agentes da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP), que já auxiliam nos serviços interrompidos com o motim da PM. Além deles, há ainda funcionários da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal fazendo o patrulhamento.

 

Cid Gomes

 

O senador licenciado Cid Gomes (PDT-CE) passou por um exame, realizado pela Perícia Forense (Pefoce), como parte das investigações sobre os tiros que levou na semana passada, na cidade de Sobral (CE), quando investiu com uma retroescavadeira contra um bloqueio de policiais grevistas.

 

O senador segue internado no hospital Monte Klinikum, em Fortaleza, após ter sido atendido em unidades de saúde de Sobral. Segundo o último boletim médico, Gomes teve trauma torácico por arma de fogo, que ocasionou perfuração do hemotórax esquerdo, lesão pulmonar e pneumotórax hipertensivo.

 

No Ceará, pelo menos nove municípios cancelaram os festejos do carnaval em razão da insegurança gerada pela greve da PM: Canindé, Forquilha, Milagres, Paracuru, Paraipaba, Santana do Cariri, São Luís do Curu, General Sampaio e Horizonte. Já em Aracati, conhecida por ter uma das folias mais concorridas do estado, a prefeitura contratou segurança privada e ampliou o efetivo da Guarda Municipal.

 

Ministros vão hoje ao estado

 

Um grupo de ministros de Estado viaja ao Ceará amanhã para acompanhar os desdobramentos da greve de policiais militares, que reivindicam aumento salarial. Eles também vão discutir o trabalho das forças federais no estado e se reunir com o governador Camilo Santana (PT). Estarão em Fortaleza os ministros da Defesa, Fernando Azevedo e Silva; da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro; e da Advocacia-Geral da União, André Luiz Mendonça.

 

No comando da 10ª Região Militar, eles vão tratar do andamento das operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), que emprega tropas do Exército no patrulhamento em Fortaleza e em várias cidades do estado. Será também avaliada a atuação da Força Nacional de Segurança Pública e das polícias locais.

 

“Estarei no Ceará na segunda-feira, com os ministros Fernando Azevedo e André Mendonça. É tempo de superar a crise e serenar os ânimos. Servir e proteger acima de tudo”, escreveu Sergio Moro ontem, no Twitter.

 

Em entrevista coletiva, o general Fernando José da Cunha Mattos, comandante das operações de GLO, informou ontem que o Exército atuará com foco prioritário em Fortaleza. A partir de hoje, os militares passarão a executar ações efetivas para a garantia da ordem pública, como o policiamento ostensivo.

 

Nove batalhões da Polícia Militar continuavam ocupados por PMs amotinados no dia de ontem, na capital e em cidades do interior do estado. Nessas unidades, muitas viaturas tiveram os pneus furados pelos grevistas.

 

Na noite de sexta-feira, um veículo de patrulhamento com policiais civis foi alvo de vários tiros em Caucaia, na região metropolitana de Fortaleza. Segundo as investigações, os agentes faziam ronda no bairro Parque Soledade, quando receberam os disparos. Um dos vidros da viatura chegou a quebrar. Não houve feridos, e nenhum suspeito foi detido.  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade