Publicidade

Correio Braziliense

Datena se filia ao MDB e mantém dúvida sobre candidatura em 2020

Este será o quarto partido ao qual o apresentador terá se filiado. Datena integrou o PT por 13 anos, depois passou pelo PP e PRP. Nas duas últimas legendas, ensaiou projetos de disputar a prefeitura de São Paulo, mas acabou desistindo


postado em 27/02/2020 16:56

(foto: Kelly Fuzaro/Divulgação)
(foto: Kelly Fuzaro/Divulgação)
O MDB confirmou para quarta-feira, 4, em Brasília, a filiação do apresentador José Luiz Datena ao partido. A ideia é fazer um ato discreto na liderança do MDB na Câmara. A data foi antecipada pela Coluna do Estadão nesta quinta-feira, 27.

 

O MDB será o quarto partido ao qual o apresentador terá se filiado. Datena integrou o PT por 13 anos, depois passou pelo PP e PRP. Nas duas últimas legendas, ensaiou projetos de disputar a prefeitura de São Paulo, mas acabou desistindo.

 

A ida de Datena para o MDB foi articulada pelo presidente da sigla, o deputado Baleia Rossi (SP), mas teve a chancela do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Maia e Rossi devem ser as principais autoridades presentes no ato de filiação.

 

Até duas semanas atrás, o presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, estava à frente das negociações para que Datena se filiasse ao MDB e concorresse à prefeitura pelo partido com apoio do presidente Jair Bolsonaro. Skaf é um dos organizadores do Aliança pelo Brasil em São Paulo

 

Em entrevista ao Estado, no entanto, Datena procurou se afastar de Bolsonaro e disse que pode ser candidato a vice do prefeito Bruno Covas (PSDB), com apoio do governador João Doria (PSDB).

 

"O meu compromisso seria com o Bruno (Covas), que é um cara que desenvolvi uma amizade muito rápida. Ele é um bom cara. Nós não avançamos, mas é uma possibilidade. A maior probabilidade é de que eu saia candidato pelo MDB. Vou me filiar após o carnaval", disse ele, à época.

 

Embora seja cotado para vice de Covas, Datena tem dito a interlocutores que seu foco político está nas eleições de 2022, quando pretende disputar o Senado ou o governo de São Paulo.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade