Publicidade

Correio Braziliense

Não se organiza um país apenas fazendo reformas, diz Maia sobre PIB

O Presidente da Câmara dos Deputados falou sobre o resultado negativo do produto interno bruto brasileiro em 2019


postado em 04/03/2020 13:04 / atualizado em 04/03/2020 13:12

Maia destacou a importância das reformas econômicas que caminham no parlamento, mas destacou a importância dos investimentos na área pública(foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Maia destacou a importância das reformas econômicas que caminham no parlamento, mas destacou a importância dos investimentos na área pública (foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) comentou o resultado do produto interno bruto brasileiro em 2019. Segundo ele, foi uma expectativa ruim que se confirmou. Nos 12 meses do ano passado, o PIB cresceu 1,1%. Embora o resultado seja positivo, é o menor desde 2017, quando o valor foi de 1,3%. Maia destacou a importância das reformas econômicas que caminham no parlamento, mas destacou a importância dos investimentos na área pública.

“Já era uma expectativa, infelizmente confirmada, e não tão positiva. Os números mostram uma queda no volume de investimento público também. É uma queda dos serviços na área pública. O que prova que a aplicação do orçamento, os investimentos públicos, são muito importantes também, para ajudar o crescimento econômico”, afirmou Maia.

O presidente da Câmara ressaltou a falta de participação do Estado. “A gente não consegue organizar um país apenas fazendo reformas e cortando, cortando, cortando. Isso tudo é fundamental, a reforma administrativa, previdenciária, novo sistema tributário. Agora, para o Brasil crescer, é importante que a gente olhe, pois o setor privado, sozinho, não vai resolver os problemas. Acho que a grande mensagem do PIB que saiu hoje é que a participação do estado será sempre importante para que o Brasil possa crescer e se desenvolver”, avaliou.

Filiação partidária

Maia falou sobre o PIB ao sair da solenidade de filiação do apresentador José Luiz Datena ao MDB. o presidente assinou como testemunha da filiação. Datena deve concorrer à prefeito de São Paulo. O líder do MDB na Câmara, Baleia Rossi (SP) afirmou que Datena é um “grande projeto democrático”. Ele destacou a capilaridade do partido no Brasil e falou contra o desequilíbrio entre os três Poderes da República. “Temos que olhar para o futuro, com a defesa intransigente da democracia”, disse.

No evento, Maia comentou que quando o pai, o vereador carioca e ex-prefeito do rio de Janeiro (RJ) Cesar Maia, enfrentou dificuldades com as pessoas que cercavam Leonel Brizola (PDT), o MDB o recebeu. “O Datena é uma das pessoas que tem mais respeito da sociedade brasileira. Não só São Paulo. Vai agregar muito ao PMDB. O PMDB conduziu a redemocratização e sempre será o fiador da nossa democracia. Em 1981, quando meu pai teve um problema com o entorno do Brizola, quem abraçou meu pai foi o PMDB. Aliás, ainda hoje, o entorno é o que atrapalha mais”, ironizou.

Em seu discurso, Datena também ressaltou a importância da democracia. Afirmou que a polarização política tem gerado ódio e defendeu a liberdade de imprensa. “Sei da luta do Rodrigo (Maia), que preside sobre a polarização, que é ódio. Na rede social há radicais interessados em arranhar a democracia diariamente. Eu respeito a rede social, mas ainda mais a liberdade de imprensa. Essa Casa representa 210 milhões de brasileiros. Se assim não for entendido, não haverá estado. Escolho o partido que tem mais história no Brasil, alicerce básico para a democracia. Não existe nação sem democracia”, declarou.

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, também participou da solenidade. Também participaram do evento Hildo Rocha (MDB-BA), e os senadores Jorge Kajuru (Cidadania-GO), Major Olímpio (PSL-SP) e o líder do governo no Congresso, senador Eduardo Gomes (MDB-TO).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade