Politica

Ministro da Saúde: "Não adianta fechar as estradas e faltar frango"

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse ser contrário ao fechamento de estradas para conter o avanço do coronavírus

Ingrid Soares
postado em 18/03/2020 19:26
O ministro da Saúde, Luiz Henrique MandettaO ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou nesta quarta-feira (18/3) que a possibilidade de fechar estradas por conta da crise com o novo coronavírus pode causar ainda mais problemas.

"Esses fechamentos de estradas, que alguns governadores insinuam, são um problema. Não adianta fechar tudo e faltar o frango. Se não chegar com cloro na água de todo o Brasil, a gente sai do vírus e cai em problema de qualidade de água", apontou.

Mandetta disse ainda que deverá ser anunciado, até sexta-feira, a regulamentação do serviço de telemedicina, teleatendimento e teleconsulta.

"Devemos anunciar nos próximos dias o maior serviço de teleatendimento. Faremos controle por algoritmo, deveremos ter ferramenta inovadora para todo o brasileiro ter classificação de risco a distância", ressaltou.

Críticas à OMS

O ministro defendeu ainda que realizar exames para detectar o coronavírus em toda a população é um "desperdício de recursos". "O presidente [da OMS] coloca que todo o planeta deve fazer teste em 100% das pessoas. Do ponto de vista sanitário, é grande desperdício de recursos preciosos para as nações. Temos nossas críticas a esse tipo de atitude tomada pela OMS;.

Ele emendou dizendo que os próximos meses serão difíceis. "Teremos dias duros, teremos semanas cansativas, nas quais o assunto nos trará extremo estresse. O momento é de calma. O Brasil já passou por momentos mais dramáticos do que este em sua história."

Ele ainda comparou a evolução da doença a uma subida no Monte Everest. "É como se fosse o Monte Everest. Se formos subir todos, não conseguiremos. Estamos no pé desse monte, e seu tamanho depende do comportamento de pessoas", disse.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação