Politica

Provocação causou repúdio geral

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 29/03/2020 04:04

O fim de medidas mais restritivas de isolamento tem sido frisado pelo presidente nos últimos dias. Em pronunciamento no último dia 24, Bolsonaro chamou o vírus de ;gripezinha; ou ;resfriadinho;, a epidemia no Brasil de ;histeria; e disse que a vida das pessoas tem que continuar, em referência ao retorno das atividades. ;Os empregos devem ser mantidos, o sustento das famílias deve ser preservado. Devemos sim voltar à normalidade;, disse o presidente.

A questão se tornou motivo de brigas e até rompimento com os governadores que aplicaram medidas mais duras, como decretação de fechamento de comércios e impedimento de entrada de transporte interestadual de passageiros. Bolsonaro afirmou que governadores estão fazendo ;demagogia barata; em cima da crise. No próprio pronunciamento, disse que as autoridades estaduais e municipais ;deveriam abandonar o conceito de terra arrasada;.

A reação foi imediata em toda a sociedade civil e nos meios políticos. O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), até então aliado do presidente, rompeu com o mesmo, dizendo que as regras a serem seguidas são as estabelecidas pelo governo estadual. ;As declarações do presidente não atravessam as fronteiras de Goiás e não atingem os goianos;, disse. Caiado, que é médico, fez outras críticas ao presidente e disse que é inadmissível Bolsonaro tratar a pandemia como ;resfriadinho;.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação