Politica

Diretor da OMS reforça políticas públicas após declaração de Bolsonaro

Na manhã de terça-feira (31/03), o presidente do Brasil descontextualizou e distorceu fala de Tedros Adhanom para embasar discurso em prol à normalização das atividades econômicas

Bruna Lima
postado em 31/03/2020 16:58
Diretor-Geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom GheybresusO Diretor-Geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Gheybresus, voltou a pedir políticas públicas para trabalhadores mais prejudicados em meio à crise econômica desencadeada no contexto da pandemia do Covid-19. Depois de tomar conhecimento de uma análise distorcida da fala dele pelo presidente Jair Bolsonaro, Tedros reiterou, nesta terça-feira 31/03), a necessidade de espírito de solidariedade aos mais vulneráveis, afastando a interpretação feita pelo presidente da República de que os governantes devem flexibilizar as medidas de isolamento para esse público.

;Pessoas sem receitas regulares ou nenhuma reserva financeira merecem políticas sociais que assegurem a dignidade e permitam que cumpram medidas de saúde pública contra o Covid-19 passadas pelas autoridades de saúde nacional e pela OMS;, postou Tedros na página pessoal do Twitter. Ele reforçou, ainda, que entende a situação vivida por pessoas que dependem do trabalho diário para suprir necessidades básicas. ;Eu cresci pobre e entendo essa realidade. Chamo os países a desenvolverem políticas que promovam proteções econômicas para as pessoas que não podem receber ou trabalhar nesse contexto;, escreveu, medindo, ao final da mensagem, solidariedade.

As postagens reiteram o discurso que fez à imprensa na segunda-feira (30/03), ocasião em que o diretor-geral da OMS falou sobre os trabalhadores informais. Ele ressaltou que cada país é diferente e precisa respeitar e adaptar as medidas contra o coronavírus, além de chamar a atenção dos governantes para as populações mais carentes, que precisam trabalhar diariamente para comer. O chefe da OMS disse, ainda, que as ações governamentais precisam considerar as pessoas mais vulneráveis, "porque todo indivíduo importa".

[SAIBAMAIS]Jair Bolsonaro se aproveitou do tema para embasar o discurso de normalização das atividades econômicas. Segundo Bolsonaro, Tedros falou "praticamente" que os informais "têm que trabalhar" durante a crise causada pela pandemia do coronavírus. No entanto, o presidente não contextualizou a fala e omitiu o recado dado aos governantes de que cabe a eles auxiliar com a promoção de políticas públicas.

A recomendação da Organização Mundial da Saúde é de fortalecimento de medidas que promovam o distanciamento social, impeçam aglomerações e atividades que favoreçam a disseminação do vírus por meio do contato próximo de pessoas.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação