Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro diz que ligou para Trump e tratou sobre o novo coronavírus

Presidente brasileiro diz que conversou com Trump sobre uso da hidroxicloroquina


postado em 01/04/2020 14:08 / atualizado em 01/04/2020 14:27

(foto: Reprodução/Twitter)
(foto: Reprodução/Twitter)
O presidente Jair Bolsonaro afirmou que telefonou para o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na manhã desta quarta-feira (1º/4). Segundo ele, os dois trocaram informações a respeito da crise do coronavírus. "O momento também serviu para reafirmar a solidariedade mútua entre os dois países”, apontou.

“Nesta manhã tive contato telefônico com o Presidente dos EUA, Donald Trump, onde trocamos informações sobre o impacto do coronavírus, bem como experiências no uso da hidroxicloroquina. Na oportunidade reafirmamos a solidariedade mútua entre os dois países”, escreveu na legenda, que veio acompanhada de uma foto ao lado do o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e do almirante Flávio Rocha, secretário de Assuntos Estratégicos.



No começo da tarde, Bolsonaro concedeu uma coletiva no Planalto, onde voltou a falar rapidamente sobre o assunto. “Trocamos informações sobre esse problema que é mundial. Obviamente estamos juntos na busca de um melhor para os nossos países.”

Trump mudou de ideia

Trump mudou de posicionamento a respeito de como combater a Covid-19. No último domingo (29/4), ele pediu para a população ficar em casa até 30 de abril. A orientação anterior era de encerrar o isolamento na Páscoa, no dia 12. O líder norte-americano também vinha defendendo o afrouxamento das medidas de isolamento, mas recuou diante do cenário.
 

Nessa terça-feira (31), questionado em coletiva sobre o posicionamento de Bolsonaro, que segue defendendo reabertura de comércios, escolas e a volta à normalidade em meio à crise do vírus, Trump não comentou o assunto, mas disse que considera suspender os voos do Brasil que chegam aos EUA para tentar conter o avanço da Covid-19.

“Estamos observando muitos países e suas posições. O Brasil, por exemplo, você mencionou o presidente… o Brasil não tinha problemas até pouco tempo atrás. Agora estão com números subindo. E, sim, estamos pensando em um veto”, disse, sem maiores detalhes.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade