Publicidade

Correio Braziliense

"Onde está sua lucidez?", indaga Julia Lemmertz a Regina Duarte

Regina Duarte endossa Bolsonaro e leva crítica de Julia Lemmertz


postado em 02/04/2020 17:23 / atualizado em 02/04/2020 18:35

(foto: Divulgação/Governo Federal)
(foto: Divulgação/Governo Federal)
A secretária de Cultura, Regina Duarte, se juntou ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao defender a reabertura de comércios e o fim do isolamento social. Nesta quinta-feira (2/4), ela compartilhou um comunicado do movimento Nas Ruas. “Bolsonaro enfrenta uma barreira para governar, enquanto governos anteriores tiveram liberdade para roubar e para saquear o nosso país. Triste realidade. Eu apoio Bolsonaro”, diz a foto com o presidente ao fundo. Na legenda, ela escreveu: Bom dia . Triste realidade mas ... BOM DIA aí ! Pra todos nós !E pra você que continua firme segurando a onda, acreditando que vai melhorar e contribuído pra dar certo”.

Na mesma postagem, a atriz Julia Lemmertz criticou o posicionamento de Regina e questionou onde ‘estava sua lucidez’ ao defender Bolsonaro. “Estamos no meio de uma pandemia mundial, onde todos os governos se organizaram para que medidas drásticas de preservação da vida de seus cidadãos fossem tomadas, e ainda assim muita gente está morrendo por falta de atendimento e condições de se tratar, uma grande quantidade de infectados ao mesmo tempo, por isso a necessidade básica de isolamento. Você defende esse despreparado que pede ao povo para voltar às ruas, para que se contaminem  adoeçam também suas famílias que ficaram em casa? Onde está a sua lucidez, a sua capacidade de discernimento? Isso não tem nada a ver com política, mas com humanidade, sendo ele responsável por uma nação que ele deveria proteger".

A também atriz Elisa Lucinda comentou sobre a permanência de Sergio Camargo Nascimento, como presidente da Fundação Cultural Palmares. “Juro que pensei que quando ele [Bolsonaro] te desmoralizou achei que acordaria. Manter, por exemplo, o Sérgio na Fundação Palmares acaba de vez com a admiração da imensa parcela negra da sociedade que era sua fã”, escreveu nos comentários. 
 

Ontem, Regina também teve publicação no Instagram nomeada com selo de informação “parcialmente falsa”. A expressão foi inserida em uma publicação no perfil do Instagram da atriz do último dia 29 de março.

Na foto, aparecem o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e o presidente Bolsonaro. Na imagem, há dizeres exaltando a cloroquina como tratamento para o novo coronavírus, sendo que o remédio ainda está sob estudos. “Liberação da cloroquina/hidroxicloroquina pela Anvisa, já com posologia para tratamento da Covid-19”.

Na legenda, a secretária da Cultura escreveu: “Vou ser responsável. Vou tomar todas as precauções, mas não vou deixar que o MEDO da COVID-19 possa ser mais forte que a minha ESPERANÇA! #tamosjuntos”.
 

No último dia 25 de março, Regina também foi alvo de duras críticas. Com um papel toalha à frente do rosto e simulando uma máscara, Regina escreveu: “QUER FICAR EM CASA? Tá ok!”. Em seguida, ela citou uma lista de profissionais que não conseguem ficar no regime de home office em meio à quarentena. “Você exige um frentista e posto de combustível aberto para você sair com seu carro em qualquer emergência… O farmacêutico e o balconista têm que estar lá para te servir, né? A vida dos outro vale menos que a sua?”. A secretária termina seu texto com o bordão de Bolsonaro: “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”.

No dia 25 de março, após um discurso em que Bolsonaro chamou de “gripezinha” o novo coronavírus, ela usou mais uma vez as redes sociais para ficar ao lado do presidente. Ela postou uma foto do presidente com a frase “nós não podemos extrapolar a dose, porque com o desemprego a catástrofe será maior”. “Para quem não entendeu a visão de Bolsonaro, ele está certíssimo”, endossou.
 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade