Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro diz que coronavírus "não é isso tudo que estão pintando"

O presidente disse ainda que é necessário convencer governadores a não serem radicais


postado em 02/04/2020 18:09 / atualizado em 02/04/2020 18:48

(foto: Carolina Antunes/PR)
(foto: Carolina Antunes/PR)
Em conversa com pastores na entrada do Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quinta-feira (2/4), que desconhece hospitais que estejam lotados por conta da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

"O vírus é uma coisa que 60% vão ter, ou 70%. Não vai fugir disso. A tentativa é de atrasar a infecção para os hospitais poderem atender. Eu desconheço qualquer hospital que esteja lotado. Desconheço. Muito pelo contrário. Tem um hospital no Rio de Janeiro, um tal de Gazolla [Hospital Municipal Ronaldo Gazolla], que, se não me engano, tem 200 leitos e só tem 12 ocupados até agora. Então, não é isso tudo que estão pintando, até porque, no Brasil, a temperatura é diferente (da da Europa eoutros países), tem muita coisa diferente aqui", disse aos religiosos.


"Medinho do vírus?"

O presidente disse ainda que é necessário convencer governadores a não serem radicais nas medidas de isolamento para preservar a economia e desafiou os gesdores estaduais a sair às ruas, como elefeznodomingo passado (29/3), em Brasília. "Tão com medinho de pegar vírus?", indagou.

Bolsonaro centrou as críticas principalmente em João Doria (PSDB), governador de São Paulo. "O governador Doria acabou de fazer um vídeo agora. Um vídeo assinado pelos governadores do Sul e Sudeste dizendo que eu sou responsável e tenho que resolver o problema de arrecadação deles", disse, afirmando que se as medidas foram tomadas sem avisá-lo, não devem ser sua responsabilidade. "Quer agora vir pra cima de mim? Não. Tem que se responsabilizar pelo que ele fez", argumentou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade