Politica

Castello Branco: Os idiotas nunca aprendem, e nós não queremos ser idiotas

O presidente da Petrobras disse que não adianta ''dizer que vamos gastar R$ 1 trilhão de reais, os resultados não vão ser bons, já vimos isso várias vezes''

postado em 02/04/2020 22:16
 (foto: Fernando Frazão/ agência Brasil)
(foto: Fernando Frazão/ agência Brasil)

O presidente da Petrobras disse que não adianta ''dizer que vamos gastar R$ 1 trilhão de reais, os resultados não vão ser bons, já vimos isso várias vezes''Em teleconferência com a XP Investimentos, após responder uma pergunta, o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, fez uma aparte dizendo que gostaria de fazer um esclarecimento sobre os economistas liberais, categoria em que se encaixa junto com o seu amigo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, que o indicou para o cargo.

"Queria fazer um esclarecimento, sobre economistas liberais ou pró-mercado. Nós não somos contra gastos do governo, mas somos favoráveis que numa situação dessas (crise), o governo gaste muito, porque a economia precisa. Mas faça racionalmente, alocando de maneira eficiente, procurando atingir aquilo que realmente é importante, onde é necessário injetar recursos", afirmou, em referência aos gastos que o governo terá para ajudar a economia não entrar em colapso durante a pandemia do coronavírus.

[SAIBAMAIS]Segundo ele, não adianta "dizer que vamos gastar R$ 1 trilhão de reais, os resultados não vão ser bons, já vimos isso várias vezes", disse, sem fazer menção ao que se referia exatamente. Depois, citando o chanceler Otto Bismark, estadista alemão do século XIX, explicou que o político dividia os povos em três categorias: os inteligentes, que aprendem as lições em suas experiências com os outros; os medíocres, que aprendem com suas próprias experiências; e os idiotas,que nunca aprendem. "Nós queremos nos posicionar na categoria dos inteligentes. Os idiotas nunca aprendem, e nós não queremos ser idiotas", afirmou.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação