Politica

Após reunião com Bolsonaro, Zema diz estudar protocolo para suspender isolamento

MG deve apresentar na semana que vem um protocolo para liberação de medidas de isolamentos social adotadas durante a pandemia do novo coronavírus

Agência Estado
postado em 09/04/2020 14:46
 (foto: Isac Nóbrega/PR)
(foto: Isac Nóbrega/PR)
Bolsonaro e ZemaO governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), afirmou que o estado deve apresentar na semana que vem um protocolo para liberação de medidas de isolamentos social adotadas durante a pandemia do novo coronavírus. O anúncio foi feito em entrevista no Palácio do Planalto, após o governador se reunir com o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes.

"Estamos estudando um protocolo que deveremos estar divulgando na próxima semana para que toda a liberação seja feita com os devidos cuidados, com uso de máscaras, uso de vários equipamento, limite de pessoas por metro quadrado", disse. O protocolo é elaborado pela secretaria estadual de Saúde, segundo o governador. Ele informou que aproximadamente 200 municípios já fizeram algum tipo de liberação por decisão dos prefeitos.

"Queremos fazer algo muito responsável. A curva de Minas Gerais, tanto de óbitos quanto de casos de coronavírus, tem se comportado de forma muito melhor do que outros Estados. Posso dizer que Minas tem feito a lição de forma adequada. Mas cabe a cada prefeito analisar sua situação", declarou.

O Estado tem, de acordo com a última atualização do Ministério da Saúde, no dia 8, 614 casos confirmados e 14 mortes pela doença. O governador destacou que muitos municípios não têm casos confirmados e questionou: "Será que esse município tem de ficar fechado? Tem algum efeito ele fechar todas as atividades?". Segundo Zema, as prefeituras que optarem pela flexibilização terão a ajuda e receberão orientações do governo estadual para tal.

Auxílio finaceiro

Neste quinta-feira, Zema foi ao Planalto solicitar um auxílio financeiro do governo federal durante o período de crise. Segundo ele, o presidente recebeu "bem" o pedido por recursos para compensar as perdas em arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), em função do desaquecimento da economia devido a crise do novo coronavírus.

"O presidente e o ministro (Paulo Guedes) reconhecem que os Estados tiveram uma queda expressiva do ICMS. Aqueles (Estados) que estavam com a água na altura do nariz vão afogar se não tiver algum tipo de ajuda", declarou.

[SAIBAMAIS]Zema foi um dos três governadores que não assinaram, no fim de março, uma carta pedindo apoio a Bolsonaro e reafirmando medidas apoiadas na ciência no combate ao coronavírus.

Na noite de quarta-feira (8/4), em novo pronunciamento, Bolsonaro responsabilizou governadores e prefeitos pelas medidas que restringem a circulação de pessoas como forma de evitar a disseminação da doença.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação