Politica

Saiba quem é Pazuello, general que será braço direito do ministro da Saúde

Militar coordenou acolhida de refugiados venezuelanos em Roraima e atuou nas Olimpíadas de 2016

Humberto Martins/Estado de Minas
postado em 22/04/2020 20:10
Eduardo Pazuello, novo secretário-executivo do Ministério da SaúdeGeneral de Divisão do Exército, nascido no Rio de Janeiro e formado na Academia Militar das Agulhas Negras, em 1984. Essa é parte do currículo de Eduardo Pazuello, novo secretário-executivo do Ministério da Saúde.

Nomeado para ser o segundo na hierarquia da pasta, logo abaixo do ministro Nelson Teich, Pazuello foi elogiado por seu novo chefe nesta quarta-feira, durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto.

;Nesses poucos dias que eu estou aqui, a impressão que eu tenho é que a gente precisa ser muito mais eficiente do que é hoje. Estamos falando de logística, compra, distribuição. E ele é uma pessoa muito experiente nisso;, disse Nelson Teich sobre Eduardo Pazuello ao anuncia-lo como novo secretário.

O novo secretário assume o cargo no lugar de João Gabbardo, que ocupava o posto na gestão do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta.

Experiência Militar

Eduardo Pazuello é mais um é mais um militar a integrar o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) e foi indicado pelo próprio presidente da República.

Além do novo secretário, outros membros do governo são oriundos das Forças Armadas: Hamilton Mourão (vice-presidente), Braga Netto (ministro da Casa Civil), Fernando Azevedo e Silva (ministro da Defesa), Bento Albuquerque (ministro de Minas e Energia), Marcos Pontes (ministro de Ciência e Tecnologia), Jorge Oliveira (Secretário-Geral), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo).

[SAIBAMAIS]No exército, Pazuello comandou o 20; Batalhão Logístico Paraquedista e foi Diretor do Depósito Central de Munição, ambos no Rio de Janeiro. Em 2014, foi promovido a General-de-Brigada e, em 2018, a General de Divisão. Atualmente, exercia o comando da12; Região Militar, em Manaus.

Como Oficial General, foi Coordenador Logístico das Tropas do Exército Brasileiro empregadas nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.

Em 2018, coordenou a Operação Acolhida, força-tarefa que atou em Roraima, recebendo imigrantes venezuelanos que fugiram para o Brasil na tentativa de escapar da crise humanitária e política em seu país.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação