Politica

Bolsonaro

Bolsonaro justificou a saída do diretor-geral da Polícia Federal do Rio de Janeiro dizendo que ele sairá da superintendência para se tornar diretor-executivo

Ingrid Soares
postado em 05/05/2020 04:00
Bolsonaro justificou a saída do diretor-geral da Polícia Federal do Rio de Janeiro dizendo que ele sairá da superintendência para se tornar diretor-executivoO presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se mostrou alterado na manhã desta terça-feira (05). Na saída do Palácio da Alvorada, ao ser questionado se havia sido um pedido dele as mudanças na direção da Polícia Federal do Rio de Janeiro, Bolsonaro não respondeu e mandou repórteres calarem a boca.

Em mãos, carregava uma folha de papel sulfite com um print de uma manchete da Folha de S. Paulo que tratava sobre o assunto e disparou: ;Que imprensa canalha a Folha de S. Paulo! O atual superintendente do Rio de Janeiro que o Moro disse que eu quero trocar por questões familiares. Não tem nenhum parente meu investigado pela PF. Nem eu e nem meus filhos. Zero. Uma mentira que a imprensa replica o tempo inteiro, dizer que meus filhos querem trocar o superintentendente;, apontou.

Ontem (4/5), o novo diretor-geral da PF, Rolando Alexandre de Souza, trocou o comando da superintendência da corporação no Rio. A mudança foi uma das primeiras ações dele no cargo após ser nomeado. O superintendente Carlos Henrique Oliveira foi convidado para a direção-executiva da Polícia Federal, assumindo o lugar de número dois de Souza.

[SAIBAMAIS]Bolsonaro justificou a saída do diretor-geral da Polícia Federal do Rio de Janeiro dizendo que ele sairá da superintendência para se tornar diretor-executivo: ;Para onde está indo o superintendente do Rio de Janeiro? Pra ser o diretor executivo da PF. Ele vai sair da superintendência pra ser diretor-executivo. E eu tô trocando ele? Estou tendo influência sobre a Polícia Federal? Isso é uma patifaria. Cala a boca, não perguntei nada. Cala a boca! Cala a boca! Ele está saindo para ser diretor executivo a convite do atual diretor-geral, não interfiro em nada. Se ele fosse desafeto meu e se eu tivesse ingerência na PF não iria para lá. Não tenho nada contra o superintendente do Rio de Janeiro e não interfiro na PF;, gritou.

O chefe do Executivo então voltou a falar sobre a manchete do jornal que faz uma relação entre a troca e o interesse dos filhos do presidente. "É uma manchete canalha e mentirosa e vocês da mídia, tenham vergonha cara. A grande parte publica patifaria;, concluiu.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação