Politica

"O Rio é o meu Estado", diz Bolsonaro sobre interesse pelo comando da PF

À imprensa, Bolsonaro abriu a própria câmera do celular para mostrar um outro trecho de mensagem com Moro.

Ingrid Soares
postado em 05/05/2020 19:06
À imprensa, Bolsonaro abriu a própria câmera do celular para mostrar um outro trecho de mensagem com Moro.O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) comentou na tarde desta terça-feira (05) o conteúdo do depoimento do ex-ministro da Justiça, Sergio Moro à Polícia Federal. A fala ocorreu na entrada do Palácio da Alvorada. O chefe do Executivo confirmou interesse na Polícia Federal do Rio de Janeiro.

;O Rio é o meu Estado. O Rio é o meu Estado. Vamos lá: o caso porteiro, como foi a Polícia Federal no caso porteiro. Eu fui acusado de tentar matar a Marielle. Quer algo mais grave do que isso? O presidente da República acusado de um assassinato? A PF tinha que investigar;, apontou.

À imprensa, Bolsonaro abriu a própria câmera do celular para mostrar um outro trecho de mensagem com Moro.

Em uma parte já divulgada, Bolsonaro enviou ao então ministro uma matéria do site O Antagonista, intitulada "PF na cola de 10 a 12 deputados bolsonaristas". Embaixo do link, o presidente escreveu: "Mais um motivo para a troca", fazendo referência a troca do diretor-geral da Polícia Federal (PF), Maurício Valeixo.

Então, Bolsonaro confirmou que havia enviado o conteúdo e mostrou um trecho anterior da conversa, dessa vez um dia antes, onde Bolsonaro encaminha o mesmo link e a resposta de Moro é: ;Isso eh (sic) fofoca. Tem um DPF (departamento da Polícia Federal) atuando por requisição no inquérito da Fake News, e que foi requisitado pelo min (ministro) Alexandre. Não tem como negar o atendimento ah (à) requisição do STF".

Um dia antes, nesta última segunda-feira (04), o presidente havia feito uma alusão à mensagem na saída do Palácio do Alvorada. Bolsonaro cumprimentou eleitores e, segurando uma folha de papel sulfite, mostrou a mensagem do print da tela do WhatsApp da conversa entre ele e Moro. Logo abaixo, Bolsonaro escreveu em vermelho, em letras altas a mesma frase: "Isso é fofoca".

À imprensa, Bolsonaro abriu a própria câmera do celular para mostrar um outro trecho de mensagem com Moro."Essa é a acusação mais grave contra a minha pessoa", disse apontando para a folha de papel. "Aqui tem o print de uma matéria do ;O Antagonista;. Embaixo está escrito, eu escrevi embaixo. ;Mais um motivo para troca". Estão me acusando por causa disso, dizendo que estou interferindo na PF. Não é isso? E estou dizendo que é fofoca embaixo, tá ok?", ironizou.

Mais cedo, ainda nesta terça-feira (5), Bolsonaro justificou a saída do diretor-geral da Polícia Federal do Rio de Janeiro, Carlos Henrique Oliveira, dizendo que ele sairá da superintendência para se tornar diretor-executivo: ;Para onde está indo o superintendente do Rio de Janeiro? Pra ser o diretor executivo da PF. Ele vai sair da superintendência pra ser diretor-executivo. E eu tô trocando ele? Estou tendo influência sobre a Polícia Federal? Isso é uma patifaria. Cala a boca, não perguntei nada. Cala a boca! Cala a boca! Ele está saindo para ser diretor executivo a convite do atual diretor-geral, não interfiro em nada. Se ele fosse desafeto meu e se eu tivesse ingerência na PF não iria para lá. Não tenho nada contra o superintendente do Rio de Janeiro e não interfiro na PF;, gritou.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação