Publicidade

Correio Braziliense

Após reunião com Bolsonaro, Regina Duarte continua no governo

Ela se reuniu em almoço na tarde desta quarta-feira (06) com o presidente Jair Bolsonaro, conforme previsto na agenda oficial.


postado em 06/05/2020 19:49

(foto: Marcos Corrrea/PR)
(foto: Marcos Corrrea/PR)
A secretária especial da Cultura, Regina Duarte, segue no governo. A informação foi confirmada pela assessoria. Ela se reuniu em almoço na tarde desta quarta-feira (06) com o presidente Jair Bolsonaro, conforme previsto na agenda oficial. 

Segundo fontes ouvidas pela reportagem, o almoço marcado desde a semana passada, ocorreu em tom amistoso, de muita conversa e sem queixas de ambos os lados. Para o encontro, ao invés de reclamações, Regina resolveu mostrar trabalho e levou ao chefe do Executivo planos tomados pela pasta, além de apresentar futuras ações. 

O encontro foi dividido em duas partes: na primeira, que durou cerca de quarenta minutos, houve uma apresentação oral ao chefe do Executivo, na qual ela explicou as condições em que encontrou a pasta da Cultura e detalhou ações feitas nos últimos dois meses desde que assumiu. Uma delas foi a adoção de medidas para a mitigação de impactos da covid-19 no setor cultural. 

O secretário adjunto, Pedro Horta, também realizou uma exposição sobre o planejamento de ações da secretaria ao longo dos próximos dois anos.

Bolsonaro se mostrou aberto às ideias e satisfeito com o conteúdo apresentado e interagiu fazendo intervenções durante a apresentação.

Durante o almoço, Regina também conversou com o presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo. Essa foi a primeira vez que tiveram contato após terem sido apresentados rapidamente no passado.

Camargo compareceu no Palácio do Planalto à convite de última hora e pareceu surpreso ao ser informado de que Regina também participaria.

"Sim, sim (fui convidado) agora há pouco. Ele me ligou, obviamente aceitei o convite", apontou a jornalistas, completando: "Não me informou nada, apenas me convidou para um almoço". Ele disse na chegada que a reunião não possuía pauta específica e que se tratava apenas de uma gentileza por parte de Bolsonaro.

Ao tomar posse no governo, Regina defendeu a demissão de Camargo. Camargo por sua vez, vem atacando a secretária nas redes sociais. A posse do presidente da fundação foi marcada por polêmicas. Ele disse que “não existe racismo real”, se posicionou contra o dia da Consciência Negra e declarou ainda que a escravidão foi boa porque negros viveriam em condições melhores no Brasil do que no continente africano. Camargo defendeu também a extinção do feriado por decreto, porque, segundo ele, causaria “incalculáveis perdas à economia do país” ao homenagear quem ele chamou de um “um falso herói dos negros”, Zumbi dos Palmares.

Bolsonaro impediu que ele fosse demitido do cargo e recorreu junto à AGU para que ele pudesse ser nomeado, após ter sua posse suspensa pela Justiça. O almoço era visto como importante para colocar a limpo a situação de Regina, que não sabia se continuava no cargo, em meio às pressões.

O encontro de Regina com Bolsonaro ocorreu um dia depois o presidente ter recuado, em algumas horas, na volta de Dante Mantovani à presidência da Fundação Nacional de Artes (Funarte). 

Mantovani havia sido exonerado em 4 de março, mesmo dia que Regina Duarte tomou posse como nova secretária. O maestro gerou grande polêmica ao associar rock com sexo, satanismo e aborto. Nessa terça-feira (5/5), o Diário Oficial da União (DOU) o colocava novamente no cargo. A recondução, no entanto, não durou 24 horas. Em edição extra, o governo federal tornou o ato sem efeito.  

Ainda assim, a nomeação iô-iô de Mantovani foi mais um sinal claro de desgaste entre Regina Duarte e o presidente Jair Bolsonaro. Na semana passada, o presidente lamentou o fato de a secretária estar em São Paulo, em home office e não em Brasília, e disse que "ela tem dificuldade". 

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio também participou do almoço.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade