Politica

Bolsonaro diz que fará churrasco para uns 30 convidados no sábado

O evento, segundo ele, ainda terá direito a uma partida de futebol

Augusto Fernandes, Ingrid Soares
postado em 07/05/2020 21:37
O evento, segundo ele, ainda terá direito a uma partida de futebolA despeito das orientações de distanciamento social da Organização Mundial da Saúde (OMS) como forma de prevenção ao novo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro vai desrespeitar a autoridade sanitária e organizar um churrasco no Palácio da Alvorada no próximo sábado (9/5) para ministros e servidores da Presidência da República.

Mesmo com as aglomerações não sendo recomendadas, o presidente disse que vai "cometer um crime" para reunir os convidados. O evento, segundo ele, deverá contar com cerca de 30 pessoas e ainda terá direito a uma partida de futebol.

"Estou cometendo um crime. Vou fazer um churrasco no sábado aqui em casa. Vamos bater um papo, quem sabe uma peladinha, alguns ministros, alguns servidores mais humildes que estão do meu lado", disse Bolsonaro à imprensa nesta quinta-feira (7/5), na entrada do Palácio do Alvorada.

Ainda segundo o chefe do Executivo, será feita uma "vaquinha" para custear as carnes. No entanto, bebidas alcoólicas não serão permitidas, comentou. "Vai ter vaquinha de R$ 70. Não terá bebida alcoólica, se não, a primeira-dama coloca todo mundo para correr;, brincou.

O quadro da pandemia do novo coronavírus no país fica mais grave diariamente e nesta quinta o Brasil chegou à marca de 9.146 mortos e 135.106 pessoas diagnosticadas com covid-19. Mesmo assim, o presidente minimiza a importância de evitar aglomerações, que facilitam a proliferação do microorganismo.

Mais cedo, por exemplo, ele atravessou a Praça dos Três Poderes a pé junto a ministros, parlamentares e empresários para fazer uma reunião no Supremo Tribunal Federal (STF) com o presidente da Corte, Dias Toffoli. Bolsonaro não usou máscaras de proteção durante a travessia, tampouco dentro do Tribunal, enquanto conversava com Toffoli.

[SAIBAMAIS]Bolsonaro protagonizou outras aglomerações desde o início da pandemia de covid-19. Além de passeios por regiões do Distrito Federal e visitas a lojas da capital federal ; incluindo um episódio em que apertou a mão de um apoiador após limpar o nariz ; o presidente também causou aglomeração e interagiu com uma multidão em uma visita às obras do hospital de campanha de Águas Lindas (GO), dedicado exatamente a atender pacientes com o novo coronavírus, e em um polêmico protesto no Setor Militar Urbano (SMU), em que os participantes pediam o fechamento do Congresso Nacional e do STF e uma intervenção militar, além de ter comparecido a recentes manifestações.

Na semana passada, Bolsonaro reuniu 25 parlamentares do PSL para café da manhã no Alvorada. Chamou a atenção a aglomeração dos convidados em meio ao clima de confraternização. A maioria dos parlamentares convidados não utilizava máscaras nem antes, nem após as refeições. Eles também não resguardavam distância entre as cadeiras nas mesas.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação