Politica

Ministro da Saúde se solidariza com mães atingidas pela Covid-19

Ele se solidarizou com as mães que perderam seus filhos para a doença e com aquelas que veem os filhos se arriscarem na linha de combate ao vírus

Marina Barbosa
postado em 10/05/2020 17:29
Ele se solidarizou com as mães que perderam seus filhos para a doença e com aquelas que veem os filhos se arriscarem na linha de combate ao vírusO ministro da Saúde, Nelson Teich, lamentou neste domingo (10/05) as 10 mil mortes já provocadas pela pandemia do novo coronavírus no Brasil. Ele aproveitou também para deixar uma mensagem de solidariedade às mães que foram afetadas pela covid-19 e hoje passam por um Dia das Mães diferente.

"Hoje, dia 10 de maio, amanhecemos com uma enorme dualidade de sentimentos, que por um lado nos traz a alegria de um dia tão especial como o dia das mães e por outro a tristeza e sofrimento de ter atingido a terrível marca de mais de 10 mil mortes por covid-19 no Brasil", disse o ministro da Saúde, nas redes sociais

Teich se dirigiu, portanto, às mães atingidas pelo novo coronavírus. Ele se solidarizou com as mães que perderam seus filhos para a doença e com aquelas que veem os filhos se arriscarem na linha de combate ao vírus. E também cumprimentou as mães profissionais de saúde que deixam os seus filhos em casa para cuidar dos pacientes da covid-19.

[SAIBAMAIS]"Eu queria deixar aqui uma mensagem de esperança à todas as mães. Aquelas mães e aqueles filhos que estão na linha de frente dessa batalha, trabalhando nos hospitais, farmácias, supermercados, na segurança, nos transportes e em tantos outros serviços essenciais. E quero falar principalmente pra aquelas mães que hoje choram a perda de seus filhos e para os filhos que hoje não podem comemorar o dia com suas mães. Para esses, deixo aqui meus sentimentos e meu compromisso de fazer o meu melhor para que vençamos rápido essa terrível guerra", escreveu Teich.

O ministro ainda garantiu a essas mães e a esses filhos que "o Ministério da Saúde e o governo federal trabalham sem parar e cada vez mais que o Brasil saia desse problema o mais rápido possível e com o menor número possível de vidas perdidas". Ele argumentou que cada pessoa vale para alguém o mesmo que a sua mãe, a sua filha e a sua esposa valem para ele. E afirmou que este é "um motivo claro e grande o bastante para que a gente brigue muito e igual por todas as pessoas desse país".

Veja a mensagem do ministro da Saúde:
[VIDEO1]

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação