Politica

Covid-19: Instagram coloca alerta de fake news em postagem de Bolsonaro

A publicação em questão diz que o número de mortes por doenças respiratórias no Ceará diminuiu neste ano, o que é falso

Ingrid Soares
postado em 12/05/2020 12:16
A publicação em questão diz que o número de mortes por doenças respiratórias no Ceará diminuiu neste ano, o que é falsoO Instagram colocou um selo de alerta de fake news em uma postagem no stories do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A publicação em questão, diz que o número de mortes por doenças respiratórias no Ceará diminuiu neste ano, o que é falso.

O chefe do Executivo compartilhou a informação inicialmente postada pelo deputado estadual André Fernandes, a qual dizia que o estado do Ceará registrara mais mortes por doenças respiratórias entre 16 de março e 10 de maio de 2019 (6.377) do que no mesmo período de 2020 (6.296). Na legenda da imagem, segue a seguinte frase: ;Toda vida importa. Entretanto, há algo muito estranho no ar. Por que em 2019 não teve o mesmo alarde?;, questiona.

A medida tomada pela rede social foi tomada com base em uma checagem da Agência Lupa, que mostrou que, ao contrário do que foi publicado pelo presidente, os números sofreram aumento: 2.808 óbitos por doenças respiratórias no estado entre 16 de março e 10 de maio de 2019 e 3.217 no mesmo período deste ano. Ou seja, ao menos 409 casos a mais em comparação ao ano passado. O post foi ocultado mas é possível visualizar após passar pelo aviso.

Após a repercussão, André Fernandes admitiu que cometeu um ;erro não intencional;.

;Publiquei uma arte que continha a palavra "respiratórias", e isso causou confusão. Apesar de não ter sido um erro intencional, a imprensa tentou usar isso para atacar o Presidente pelo simples fato dele ter compartilhado no story. Canalhas, mil vezes canalhas!”, escreveu.

Essa não é a primeira vez que as redes sociais reagem a fake news postadas pelo presidente Bolsonaro. No último dia 29 de março, o Twitter deletou dois posts da conta do presidente por violação às normas da rede social.

Em uma das postagens, uma filmagem apagada, Bolsonaro citava o uso de cloroquina para o tratamento da COVID-19 ao conversar com um vendedor ambulante em Taguatinga. "Está dando certo em tudo quanto é lugar", afirmava o chefe do executivo. A hidroxicloroquina ainda está em fase de testes e não há comprovação de sua eficácia contra o novo coronavírus. No outro post apagado, em Sobradinho, o presidente entrava em um açougue, falava com funcionários e citava novamente o remédio.

Já no dia 1 de abril, Bolsonaro voltou a atacar as medidas de isolamento e restrição contra o coronavírus adotadas pelos governadores. Na tentativa de reforçar sua posição, o presidente compartilhou nas redes sociais um vídeo com falsas informações em que um homem aparece na Ceasa, a Central de Abastecimento de Minas Gerais, em Contagem, afirmando que há desabastecimento no local.

"Para você que falou, depois do discurso do presidente, que economia não tinha importância, que importante eram vidas, dá uma olhada nisso aí. Pois é, fome, desespero, caos também matam. A culpa disso aqui é dos governadores porque o presidente da República está brigando incessantemente para que haja uma paralisação responsável. Não paralisar todos os setores, quem não é do grupo de risco voltar a trabalhar, ok?". De acordo com o indivíduo,, governadores estão "querendo ganhar nome e projeção política às custa do sofrimento da população".

[SAIBAMAIS]Na legenda, Bolsonaro escreveu que ;depois da destruição não interessa apontar culpados;: "Não é um desentendimento entre o Presidente e ALGUNS governadores e ALGUNS prefeitos. São fatos e realidades que devem ser mostradas. Depois da destruição não interessa mostrar culpados."

No entanto, a assessoria de comunicação da Ceasa garantiu que não há falta de produtos e segue abastecimento. Medidas também foram adotadas para evitar o coronavírus com medidas de higienização. Entre as medidas adotadas, desde o dia 23, menores de 14 anos e maiores de 60 também não podem entrar no local. Dessa vez, o próprio presidente reconheceu apagou a postagem. ;Quero me desculpar. Não houve a devida checagem do evento;, disse horas depois.
A publicação em questão diz que o número de mortes por doenças respiratórias no Ceará diminuiu neste ano, o que é falso
A publicação em questão diz que o número de mortes por doenças respiratórias no Ceará diminuiu neste ano, o que é falso

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação