Politica

Saraiva revela que recebeu ligação de Ramagem com convite para assumir PF

Amigo de Alexandre Ramagem, atual chefe da Abin e que chegou a ser nomeado para a PF, Saraiva diz que foi convidado para assumir a Superintendência da Polícia Federal no Rio

Renato Souza, Sarah Teófilo
postado em 13/05/2020 21:06

homem falando com ternoO delegado Alexandre da Silva Saraiva, que no ano passado chegou a ser ventilado como eventual indicado a superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro, afirmou, nesta quarta-feira (13/5), em depoimento prestado em Brasília, que recebeu, no ano passado, a ligação de Alexandre Ramagem, atual chefe da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), convidado para assumir a unidade da corporação em solo carioca.

Saraiva foi ouvido no âmbito do inquérito aberto pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar as declarações do ex-ministro Sergio Moro, que acusa o presidente Jair Bolsonaro de tentar inferir na PF. No ano passado, após afirmar que trocaria o superintendente no Rio e depois do delegado Carlos Oliveira ser indicado para a vaga por integrantes da corporação, Bolsonaro disse que "ficou sabendo" que Saraiva assumiria o cargo. A declaração gerou reação e acusações de interfrência por parte do presidente.

Horas depois, após a situação ganhar repercussão, Bolsonaro baixou o tom. "Eu sugeri o de Manaus. Se vier o de Pernambuco, não tem problema, não", disse. No depoimento, Saraiva confirmou ter recebido o contato de Ramagem, e que seu nome teria sido indicado pelo presidente. ;Que no início do segundo semestre de 2019, recebeu uma ligação do Dr Ramagem, perguntado ao depoente (Saraiva) se ele aceitaria assumir a superintendência da Polícia Federal no RJ, ao que o depoente prontamente aceitou.Que não se recorda qual cargo o Dr Ramagem ocupava à época desse telefonema, porém recorda-se dele ter afirmado que o presidente da República Jair Bolsonaro tinha alguns nomes para sugerir ao ex-ministro Sergio Moro para ocupar a função;, diz um trecho do depoimento ao qual o Correio teve acesso na íntegra.

Durante a oitiva, Saraiva criticou várias vezes o diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, que é próximo de Sergio Moro. Colocou em dúvida os dados de produtividade da superitendência do Rio e de todas as demais no país, e o caráter meritocrático das nomeações de Valeixo. "Que o depoente e o Dr Ramagem conversam muito por que são amigos, e o depoente afirmou ao Dr Ramagem que não acreditava que seu nome fosse efetivamente indicado para assumir a Superintendência do Rio porque na gestão do então diretor-geral Dr Valeixo, nenhum dos 36 delegados de Polícia Federal ocupantes de DAS da região da Amazônia Legal assumiu alguma superintendência no litoral do país", disse.

Ainda de acordo com o depoimento, Sergio Moro chegou a questionar Saraiva sobre eventual ida dele ao Rio de Janeiro. "Que algum tempo após o telefonema ora relatado, teve um encontro com o então ministro Sergio Moro, no Aeroporto de Manaus, oportunidade em que o depoente foi inquirido pelo ministro nos seguintes termos: ;Saraiva, que história é essa de você no Rio de Janeiro;, ao que o depoente respondeu ter recebido a ligação acima relatada do Dr Ramagem, tendo feito na ocasião a mesma ressalva relacionada ao acerto com o diretor geral da PF como na condição para assumir a SR/RJ", completa o depoimento.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação