Politica

Governo exonera mais um nome do Ministério da Justiça ligado a Moro

Rosaldo Ferreira Franco foi demitido do cargo de secretário de Operações Integradas. Ele ocupava o cargo desde o início do governo Bolsonaro, ao lado do ex-ministro, tendo atuado com ele na Lava-Jato

Sarah Teófilo
postado em 15/05/2020 12:03
Rosaldo Ferreira FrancoO governo federal exonerou nesta sexta-feira (15/5) o secretário de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Rosaldo Ferreira Franco. Na portaria, publicada no Diário Oficial da União (DOU), consta que a exoneração foi feita a pedido de Franco. Ele estava no cargo desde a entrada do ex-ministro Sérgio Moro, em janeiro do ano passado. Não foi nomeada ainda outra pessoa para o lugar.

Rosalvo foi anunciado por Moro como secretário ainda em novembro de 2018, antes da posse do presidente Jair Bolsonaro. Ele foi superintendente do Paraná durante um dos períodos da Lava-Jato e atuou ao lado do ex-juiz federal.

Moro pediu demissão no último dia 24 de abril acusando o presidente Jair Bolsonaro de interferência política na Polícia Federal. As afirmações deram início a uma intensa crise no Planalto, tendo sido aberto um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar suposta interferência.

A demissão de Rosaldo faz parte de mudanças que estão acontecendo na pasta depois da saída de Moro e com a posse do novo ministro André Mendonça, ex-advogado-geral da União (AGU). Na última quinta-feira (14), foi exonerado o secretário nacional de Segurança Pública, Guilherme Cals Theophilo Gaspar de Oliveira, que também estava na posição desde o início do ano passado.

Ainda nesta semana, o governo exonerou o secretário Nacional de Justiça do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Vladimir Passos de Freitas. Para nenhum dos cargos foi nomeado ainda substituto.

Na segunda-feira (11), também foi publicado no DOU mudanças na PF. O delegado Delano Cerqueira Bunn foi exonerado do cargo de diretor de gestão de pessoal e foi nomeada em seu lugar a delegada Cecília Silva Franco, que atuava como superintendente da PF no Tocantins.

[SAIBAMAIS]Houve mudança também na direção de administração e logística policial, quando o delegado Roberval Ré Vicalvi foi exonerado e no lugar foi nomeado André Viana Andrade, que atuava como superintendente da PF no estado da Paraíba.

O perito criminal Fábio Augusto da Silva Salvador foi demitido da direção técnica-científica da PF, ficando no lugar o perito Alan de Oliveira Lopes, que desde julho do ano passado atuava como assessor especial do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes. Salvador foi chefe da perícia da PF na Operação Lava-Jato em Curitiba e passou a atuar no governo federal em janeiro do ano passado, junto com o ex-diretor da PF Maurício Valeixo.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação